Geninho não é mais técnico do Corinthians

A bola já estava cantada há algumas rodadas. O técnico do Corinthians, Geninho, não resistiu à humilhação imposta neste domingo pelo Juventude, que goleou o time do Parque São Jorge por 6 a 1, em Caxias do Sul, e pediu demissão. A atitude não foi inédita. No próprio Campeonato Brasileiro, o treinador já havia jogado a tolha no vestiário do Pacaembu, quando os corintianos perderam por 1 a 0 para o Figueirense. A diretoria, no entanto, o fez mudar de idéia. Neste domingo, porém, aceitou de pronto. O vice-presidente de Futebol, Antonio Roque Citadini, procurou mostrar-se tranqüilo na saída do Estádio Alfredo Jaconi. Mesmo contrariado pelo placar, agradeceu a Geninho pelo trabalho e confirmou que o clube já tem um plano para substituí-lo. ?Eu estaria sendo hipócrita se dissesse que não pensamos em alternativas. É evidente que em um clube como o Corinthians sempre existe um Plano B, C, D e aí por diante?, afirmou. ?Com relação ao Geninho, nós o agradecemos pela vitoriosa passagem dele pelo clube. E a forma como ele colocou o pedido (de demissão), nem dava margem para tentar fazê-lo mudar de idéia.? Diante desse cenário, o dia vai ser agitado nesta segunda-feira no Parque São Jorge. A primeira missão da cartolagem será encontrar um substituto para o cargo. Citadini nunca escondeu sua predileção por treinadores argentinos. Contudo, pelo fato de a competição estar caminhando para o final, o mais provável é que algum profissional de dentro do clube seja destacado para a função. Em oportunidades passadas, Juninho, técnico das equipes de base, foi cotado. O assistente Jairo Leal também está entre as opções. ?O Jairo é o auxiliar-técnico e está em condições de, nestes dias, atender o clube. Mas nós não pensamos em soluções provisórias?, afirmou o dirigente. ?Não queremos um técnico somente para terminar o Brasileiro. E outra coisa. Não sondamos ninguém, nenhum outro nome, antes da saída do Geninho.? A próxima partida do Corinthians está marcada para domingo, contra o Vitória, em Salvador. Adeus ? Na entrevista coletiva que deu após a partida, Geninho disse que não tinha mais o que fazer no Corinthians. ?Fiquei decepcionado com o resultado. Treinamos bem durante a semana e achei que a equipe renderia bem mais. Como não deu, decidi sair. Eu disse a todos eles (os jogadores) que têm todas as condições de lutar pelo nosso grande objetivo, que é chegar na Libertadores.? O ex-técnico corintiano garantiu que vai ser um torcedor a partir de agora. ?Eu seria a pessoa mais contente do mundo se o Corinthians ganhasse a vaga na Libertadores. O Corinthians vai ter um torcedor do lado de fora. Vou esfriar a cabeça, tirar um pouco o estresse. Não penso em trabalhar tão cedo?, observou, em tom de desabafo. Geninho disse que tomou a decisão de sair ao final da partida. ?Sei o que o Corinthians representa e o que significa um resultado desses. Enquanto estive aqui, muitas pessoas contestaram o meu trabalho. Quem sabe agora elas fiquem satisfeitas.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.