Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Geninho pede calma com os meninos

O Corinthians também tem os seus meninos. Wilson, Jô, Coelho e Wendell são a nova realidade do time. O técnico Geninho se convenceu que o caminho são os garotos. A vitória indiscutível sobre o Internacional, por 3 a 1, de virada, é o aval que o treinador precisava para apostar definitivamente nos garotos. ?Hoje estou muito feliz. Essa vitória teve um sabor especial pela garotada. Vamos continuar com eles, até pelas dificuldades do elenco, mas é preciso ter muita calma com os meninos. Hoje eles acertaram. Mas pouco gente lembra que foram vaiados no jogo anterior", observa o técnico. O treinador corintiano não fez diferença entre Wilson e Jô, que fizeram os três gols deste domingo, e os outros garotos. Alguém chegou a pedir para Geninho comparar os meninos do Santos com os do Corinthians. O técnico vê semelhanças. ?Todos eles têm qualidades. Só que os do Santos foram lançados há um ano. Houve paciência com eles e hoje os frutos estão aparecendo. Com o Corinthians o caminho não deve ser diferente. Os meninos vão alternar bons e maus jogos; vão ser aplaudidos e vaiados. Mas eu acho que é isso mesmo: quem tem qualidade tem de ir para a arena mesmo." Geninho só não quis dizer se os meninos que atuaram neste domingo já são titulares. ?Isso é muito complicado. Já lancei vários meninos antes, alguns que estão até na seleção brasileira. Mas é o que eu disse lá atrás: é preciso ter paciência, não achar que eles serão os salvadores da Pátria." Para provar, Geninho explicou que até as suas cobranças durante o jogo são diferentes em relação aos garotos. ?Vocês podem reparar que eu nunca cobro deles durante a partida. Procuro deixá-los à vontade, porque eu sei quanto é difícil esse começo. Eles estão num time de ponta, onde as cobranças são enormes. Não é fácil vencer. Por isso, repito: estou orgulhoso por eles." Jô, que acaba de completar só 16 anos, mal conseguia concluir uma frase diante de tanto assédio. Falou coisas que ele costuma ouvir da boca dos jogadores mais experientes. ?Tenho batalhado muito por meu espaço. Esse gol vai me dar força. Pra mim e para o time. Agora, o Corinthians já pode começar a pensar no título." Exagero? Inexperiência? Talvez. Mas até veteranos como o meia Robert passaram a enxergar o futuro da equipe de uma forma diferente após a vitória. O meia Robert foi um dos que mais se impressionaram com o desempenho dos meninos. ?O Geninho confiou nessa molecada e a molecada não decepcionou." Ele acha que a vitória sobre o Inter abriu novas perspectivas para a equipe no Campeonato Brasileiro. ?Não foi uma vitória do nada. Foi uma vitória que o time precisava. Convincente.? Robert, como a grande maioria, passou a acreditar na hipótese de uma reação até agora impensável até pelo mais fanático dos corintianos. ?A gente está aqui para classificar o time para a Libertadores. Mas se deixarem a equipe embalar, o Corinthians vai dar trabalho." Os dois próximos jogos ajudam: o Flamengo, domingo, no Maracanã, e o Fortaleza, na quarta-feira. Se o time conquistar mais seis pontos, vai entrar definitivamente na briga por uma vaga na Libertadores. Se o STJD der mais dois pontos, as chances serão ainda maiores. Quanto aos torcedores que pressionavam Geninho a pedir demissão antes do jogo? Nenhum deles apareceu no vestiário. Nem ao menos para ver o técnico se emocionar ao falar de seus meninos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.