Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Geninho pede desconto ao jovem time

Paciência, compreensão e "nada de pressão sobre a garotada" foram os pedidos do técnico do Corinthians, Geninho, neste domingo, após a derrota para o Flamengo, por 1 a 0, no Maracanã, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.Além de não culpar pelo mal resultado as jovens promessas da equipe, o treinador optou por repetir e enfatizar que a evolução em seus desempenhos acontecerá com a seqüência de partidas. "Tem que dar tempo a eles, porque é muito cedo para falar se alguém foi aprovado ou reprovado. Somente no final do Brasileiro saberemos isso", disse Geninho, referindo-se aos atacantes Wilson (18 anos) e Jô (16), o lateral-direito Coelho (20), o lateral-esquerdo Vinícius (19), o volante Wendell (19) e o meio Bobô (18). "A garotada está aí e precisa ser utilizada e vai continuar tendo chance."E foi por ter gostado da atuação dos "garotos" escalados como titulares, que Geninho optou por colocar em campo Bobô e Wendell no segundo tempo. De acordo com o treinador, os meias Robert e Jamelli já tinham perdido o condicionamento físico e para dar "volume" ao time colocou mais jovens em campo, porque "eles têm muita saúde". "A tendência natural é evoluir. Nem sempre vai dar certo como no segundo tempo da partida contra o Internacional (quando o time venceu por 3 a 1)", argumentou Geninho, considerando que o empate seria o resultado mais justo para o confronto deste domingo.Estréia - Após estrear no Maracanã, Jô preferiu culpar a falta de sorte pela derrota do Corinthians. O jogador lamentou a oportunidade desperdiçada no primeiro tempo, quando acertou uma bola na trave, mas enfatizou a necessidade de o time não se abater. Já Fabinho, de 23 anos, que neste domingo foi o capitão corintiano admitiu que os jogadores jovens "sentiram a pressão". No entanto, não condenou companheiros, lembrando que o time terá muitas partidas pela frente para se acertar e conquistar uma vaga à Taça Libertadores da América.O vice-presidente de Futebol corintiano Antônio Roque Citadini também aprovou a atuação dos "garotos" e ficou irritado ao ser indagado sobre a possível falta de organização administrativa no clube. Enquanto isso, facções de torcidas organizadas fizeram um protesto e levaram duas faixas para o Maracanã: "Incompetente esse é o nosso presidente. Mais um jogador foi embora" e "Citadini funcionário fantasma".

Agencia Estado,

31 de agosto de 2003 | 19h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.