Geninho quer raça corintiana contra Vasco

O Corinthians enfrenta o Vasco, nesta quarta-feira, às 21h40, no Pacaembu, tentando mostrar uma nova cara ao seu torcedor. Seguindo uma linha que já deu certo no empate por 2 a 2 contra o Paysandu, em Belém do Pará, o técnico Geninho resolveu apostar numa velha arma do chamado ?Timão?: a raça. Geninho começou a pensar melhor nessa alternativa há duas semanas, em Belo Horizonte, na vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-MG - principalmente depois que o Corinthians ficou com um jogador a menos, aos 7 minutos do segundo tempo, com a expulsão do zagueiro Marquinhos. O time revelou uma força de vontade que impressionou o seu treinador. ?O Corinthians é história. O time tem que ter superação, atitude. É assim desde os tempos em que eu jogava." Óbvio que Geninho não vai bancar uma mudança radical de estilo, esquecendo de vez o futebol que a torcida se acostumou a ver nos anos de ouro do bicampeonato brasileiro de 98/99 ou na época de Carlos Alberto Parreira, em 2002, quando o toque de bola era a sua marca registrada. Mas já que o time de hoje não está conseguindo manter aquele mesmo padrão, o jeito foi resgatar a história. ?E eu tenho sempre dito a eles: quando não é possível vencer na técnica, que seja na raça e na vontade, como foi em Belém do Pará", observa Geninho. O treinador só não quer que o Corinthians volte a ser rotulado apenas como o time da raça. O ideal, segundo ele, seria combinar os dois estilos. ?Ser um time só guerreiro é perigoso porque você não pode esquecer de jogar um bom futebol. Não dá para ser só burocrata nem só correria. É preciso achar o equilíbrio entre as duas coisas. Quando você consegue, é uma maravilha." No caso do Corinthians atual, seria muito otimismo esperar esse equilíbrio. Mais uma vez, Geninho se vê obrigado a mudar a sua equipe. Desta vez, o principal desfalque é o atacante Liedson, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. De outro lado, Marquinhos e Gil reforçam o time, o que dá a Geninho mais esperanças de vencer o Vasco. ?Com todos os problemas, o time vem de dois resultados positivos fora, vitória sobre o Atlético-MG e empate contra o Paysandu, onde os líderes do campeonato perderam", lembra o técnico. ?Seria muito bom se conseguíssemos duas vitórias: sobre o Vasco, nesta quarta, e sobre o Internacional, que é nosso concorrente direto ao título, no domingo. É de uma sequência de bons resultados como essa que o time está precisando." O que mais anima os corintianos é a situação do adversário. Geninho sabe que o Vasco vem com muitos problemas. Depois de perder Marcelinho Carioca para o futebol árabe, perdeu também Edmundo, suspenso com três cartões amarelos. Além disso, a pressão sobre o time carioca é ainda maior do que a do Corinthians. Tudo isso enche Geninho de esperança. ?Cada desfalque significa um certo enfraquecimento no adversário, mas isso não nos dá a certeza de uma vitória", acrescenta o treinador. ?O Vasco tem uma camisa forte e pode embalar de uma hora para outra. É importante que o Corinthians não deixe que o adversário comece a recuperar em cima da gente."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.