JD Diório|Estadão
JD Diório|Estadão

Geninho, técnico do ABC, elogia trabalho de Rogério Ceni no São Paulo

Treinador acredita que comandante do time paulista vai encontrar um equilíbrio entre defesa e ataque

Entrevista com

Geninho, técnico do ABC

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

15 de março de 2017 | 09h07

O técnico Geninho vai tentar levar o ABC para a próxima fase da Copa do Brasil e para isso terá de reverter a vantagem de 3 a 1 construída pelo São Paulo no jogo de ida, no Morumbi. A partida desta quarta-feira será no Frasqueirão, estádio onde o time potiguar não perde há 24 partidas, ou seja, desde o dia 10 de março de 2016, contra o Salgueiro, pela Copa do Nordeste.

O que você espera para o jogo da volta contra o São Paulo?

Eu espero fazer um jogo melhor. O ABC provavelmente terá o retorno de alguns jogadores importantes, pois atuamos sem quatro titulares no duelo de ida. O time tem uma performance bem melhor quando atua no Frasqueirão, se dá bem jogando ali, mas nós temos  de reconhecer que a vantagem do São Paulo é substancial e considerável, ainda mais para um time da qualidade dele.

A invencibilidade no Frasqueirão, de 24 partidas, pode fazer a diferença? Foi por isso que vocês optaram por não mandar o jogo na Arena das Dunas?

Foram vários fatores para não mudar o local. Primeiro que o ABC tem um programa de sócio-torcedor e, se muda o estádio, esse sócio terá de pagar. A gente consegue vender o título de associado dando para ele algumas vantagens. O associado sofre o ano inteiro com a gente, então, quando tem um jogo de maior expressão, não dá para tirar dele essa vantagem. Isso daria um problema de relacionamento muito grande. O fato de ter performance boa em seu estádio também pesou para a escolha.

Como você vê trabalho do Rogério Ceni como técnico?

É um bom trabalho, os resultados têm sido positivos para um início de campanha, ele está tentando implantar uma maneira um pouco diferente de jogar, faz opção por jogar sempre na frente, às vezes deixa a retaguarda um pouco exposta, mas tem conseguido fazer mais gols do que tem tomado, então acho que o objetivo é esse. Com a sequência de trabalho, muito provavelmente ele vai achar um equilíbrio e a hora que conseguir isso, o São Paulo vai ser um time difícil de ser batido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.