José Luis da Conceição/Divulgação
José Luis da Conceição/Divulgação

Geraldo Alckmin se diz otimista sobre abertura da Copa em São Paulo

Para governador, questão do futuro estádio do Corinthians, em Itaquera, foi bem equacionada

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

13 de julho de 2011 | 12h32

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), aguarda com otimismo o anúncio que deve oficializar o futuro estádio do Corinthians, em Itaquera, na zona leste da capital paulista, como a sede de abertura da Copa do Mundo de 2014. A intenção dos dirigentes da Fifa é fazer o anúncio oficial ainda nesta quarta-feira. O governador disse que recebeu, na última terça, telefonemas do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, do ministro do Esporte, Orlando Silva, e do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez.

"Todos estão otimistas, dizendo que as coisas estão bem encaminhadas", afirmou Alckmin, nesta quarta, após cerimônia de assinatura de contrato de financiamento do Estado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Nos telefonemas, segundo Alckmin, lhe foi informado que os maiores obstáculos para a escolha do estádio paulistano para a abertura da Copa foram superados. "Vamos aguardar agora o pronunciamento da Fifa, mas estamos otimistas porque a questão do estádio foi bem equacionada e foram apresentadas as garantias financeiras", disse. A opção pela arena corintiana estava tomada desde o segundo semestre de 2010. A Fifa aguardava, no entanto, a apresentação das garantias financeiras do projeto, o que foi feito na segunda-feira por representantes do clube paulista e da Odebrecht.

O presidente do Comitê Paulista da Copa do Mundo, Emanuel Fernandes, afirmou esperar que o anúncio seja feito "no prazo mais curto de tempo", mas ressaltou que a Fifa não estipulou uma data para o governo de São Paulo. "Estamos esperando, está todo mundo ansioso, mas isso é mais uma etapa, uma etapa importante", disse. "Estamos confiantes de que eles aceitarão as garantias financeiras oferecidas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.