Gerrard admite que perda da titularidade pesou para ele deixar o Liverpool

O meio-campista Steven Gerrard fará sua última partida com a camisa do Liverpool no Anfield Road neste sábado, contra o Crystal Palace, pelo Campeonato Inglês. Um dos maiores ídolos do clube em todos os tempos, ele já está negociado com o Los Angeles Galaxy, para onde vai quando a temporada europeia terminar. Nesta quarta, ele deu uma emocionada entrevista coletiva e admitiu que a perda da condição de titular absoluto pesou na decisão de buscar um novo time.

Estadão Conteúdo

13 de maio de 2015 | 11h58

"Eu vi que começaria no banco, e isso muda o ânimo. Para mim, vou para o trabalho na segunda-feira de manhã e fico ansioso para o sábado, para me preparar para ir para a batalha com pessoas incríveis, meus companheiros. Isso me anima", disse. "Quando o técnico o chama no escritório e diz que as coisas vão mudar e você terá tempo limitado em campo, é aí que você toma sua decisão. Não é algo egoísta, sair do banco apenas não dá o mesmo ânimo. Então, as coisas mudaram este ano."

Apesar de admitir a decepção com a perda da titularidade na atual temporada, Gerrard sabe que será difícil para ele fazer a última partida no Anfield Road. Quando o Liverpool entrar em campo no sábado, todos os olhares estarão voltados para ele. "Será estranho, tenho certeza disso", comentou.

"Eu serei o centro das atenções no fim de semana, não é algo que eu realmente goste, mas espero que possa ter um bom desempenho para os torcedores, para que possamos vencer e eu possa desfrutar da despedida que terei", disse o jogador. "Vai ser um dia difícil, mas vou me divertir."

Foram 17 anos vestindo a camisa do Liverpool, desde a estreia pelo time profissional em 1998. De lá para cá, Gerrard atuou em 708 partidas com a camisa vermelha e anotou 185 gols. Os títulos e a disposição em campo fizeram dele um dos maiores ídolos do clube em todos os tempos, e se a despedida do Anfield Road já será difícil, o meio-campista sabe que dizer adeus definitivamente, ao fim da temporada, será ainda mais complicado.

"Eu acho que no momento em que estou, com dois jogos pela frente, não quero pensar muito nisso. Todos estão falando sobre isso, mas só quero estar focado para os últimos jogos e treinos. Haverá muito tempo para ficar sentimental e emocionado após os jogos, mas eu realmente não quero ouvir os torcedores ficando emocionados cara a cara porque estou com medo de ceder e acabar mostrando muito", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLiverpoolGerrard

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.