Henry Romero|Reuters
Gerson é um dos protagonistas do Flamengo na conquista do Brasileirão Henry Romero|Reuters

Gerson é um dos protagonistas do Flamengo na conquista do Brasileirão Henry Romero|Reuters

Gerson deixa irregularidade para trás e se torna um exemplo de meia completo

Após chegar cercado de desconfiança, pelo alto valor investido, o jogador consegue dar a volta por cima e se torna um dos alicerces da equipe

Mateus Silva Alves , especial para o Estado

Atualizado

Gerson é um dos protagonistas do Flamengo na conquista do Brasileirão Henry Romero|Reuters

Mesmo os rubro-negros mais otimistas (o que é quase uma redundância) ficaram com um pé atrás quando o Flamengo topou pagar quase R$ 50 milhões à Roma por Gerson, em julho. Afinal de contas, tratava-se de um jogador bastante irregular em seus tempos de Fluminense e que passou sem glória alguma pela Itália. Alguns meses (e um título) depois, a torcida não cansa de festejar um dos melhores meio-campistas do futebol brasileiro.

Uma das imagens mais marcantes da campanha rubro-negra no Brasileirão é a do segundo gol da goleada por 4 a 1 sobre o Corinthians, no Maracanã. Gerson recebeu a bola no meio do campo, deu um drible da vaca em um adversário e executou um passe açucarado para Bruno Henrique marcar. Uma jogada digna de um jogador de seleção brasileira, coisa que o ex-tricolor pode se tornar a qualquer momento.

Gerson foi mais um jogador do Flamengo que desabrochou sob as ordens de Jorge Jesus. Até sua chegada à Gávea, ninguém sabia exatamente qual era o melhor lugar para aproveitar o talento do rapaz. Agora já se sabe: todos. Ele tornou-se um meio-campista completo, que está presente em todas as partes do campo, defendendo e atacando com a mesma categoria.

"Não entendo como deixaram o Gerson voltar da Itália. Não deram nada por ele, mas é um grande jogador. É o nosso joker (curinga). Taticamente é muito evoluído. Seja onde for, tem influência", disse Jorge Jesus, cada vez mais apaixonado pelo futebol do meia.

Outro treinador que está encantado com a bola jogada por Gerson é Tite. O comandante da seleção ainda não convocou o meia de 22 anos, mas recentemente deu um sinal claro de que isso pode ocorrer em breve. "Vou fazer uma inconfidência: um cara me falou: 'Convoca o Gerson'. Eu disse: 'Eu não, depois vocês (flamenguistas) vão me pegar'. Mas taí um que eu gostaria de convocar, o Gerson", disse o treinador em uma entrevista coletiva.

Gerson precisou de apenas alguns meses para convencer os céticos de que aquele volante irregular que vestia a camisa do Fluminense não existe mais. Hoje ele é cantado em verso e prosa como um dos melhores meias do futebol brasileiro e um jogador que cedo ou tarde será visto vestido de amarelo. E a torcida do Flamengo já acha que aqueles R$ 50 milhões pagos à Roma foram uma pechincha.

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengofutebolGerson Santos da Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.