Gestão brasileira transforma Estoril na sensação do futebol português

Em quatro anos clube resolve débitos de 4 milhões de euros, sobe de divisão e disputa Liga Europa

CIRO CAMPOS E MARCIUS AZEVEDO, O Estado de S. Paulo

16 de setembro de 2013 | 08h00

SÃO PAULO - Mais de 500 anos depois, agora é a vez do Brasil iniciar uma espécie de colonização em Portugal. A exemplo de 1500, em um núcleo pequeno no litoral começa uma era de crescimento. Da beira da queda para a terceira divisão e com 4 milhões de euros em dívidas, o pequeno Estoril reagiu nos últimos quatro anos graças ao comando brasileiro e hoje desfruta a melhor fase dos seus 74 anos de história.

A evolução é cercada de aspectos curiosos. Na última temporada o clube tinha um dos quatro menores orçamentos do Campeonato Português, mas mesmo assim fez história ao conseguir vaga na Liga Europa pela primeira vez. O estádio local é o menor da primeira divisão portuguesa: tem capacidade para apenas 5 mil pessoas. Por fim, o presidente, Tiago Ribeiro, de 38 anos, é o mais jovem do futebol local e o único brasileiro a estar no comando de uma equipe europeia.

A tranquilidade e a organização pesaram na hora do meia João Pedro, de 21 anos, deixar o Santos em julho e acertar com os "Canarinhos". Na cidade, ele e os demais jogadores saem na rua sem ser reconhecidos e nem cobrados pela torcida. "O clube vive ótima fase, mas temos que ir com calma e dar um passo de cada vez, sem cair na euforia. A relação transparente com a diretoria nos dá confiança para buscar os resultados", afirmou.

Gols do Estoril no jogo contra o Pasching, da Áustria, pela Liga Europa

O Estoril tem um orçamento para a atual temporada de 5 milhões de euros e o sucesso da “colonização brasileira” começa a ser modelo. "Tanto os fundos de investimento quanto os capitais estrangeiros são uma tendência irreversível no futebol. Fomos o primeiro, mas o Beira-Mar e o Olhanense também começam a seguir nosso exemplo", disse o presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.