Gesto obsceno abala relação entre Ronaldo e a torcida

A péssima atuação de Ronaldo na derrota de 1 a 0 para o Paulista, na última quarta-feira à noite, em Barueri, pelo Paulistão, abalou a relação, até então sempre boa e amistosa, que o atacante tem com a torcida corintiana.

AE, Agencia Estado

25 de março de 2010 | 09h36

O fato ficou explícito após o confronto, que tirou o Corinthians na zona de classificação para as semifinais da competição. Irritado com as críticas feitas pelos torcedores, Ronaldo chegou a fazer um gesto obsceno (exibindo o dedo médio da mão direita) antes de entrar em seu carro e deixar a Arena Barueri.

Antes disso, o jogador foi vaiado pelos torcedores por causa de seus erros contra o Paulista, fato incomum nos jogos do Corinthians, mesmo com a fase ruim atravessada pelo craque, que marcou apenas dois gols nesta temporada.

O último gol feito por Ronaldo aconteceu no último dia 17, quando ele encerrou um jejum de cinco partidas ao balançar as redes e garantir a vitória por 1 a 0 sobre o Cerro Porteño, em Assunção, pela Copa Libertadores. Na ocasião, o atleta acabou com um período de 49 dias sem fazer um gol, após ter deixado a sua marca no empate por 1 a 1 com o Mirassol, no dia 27 de janeiro, no Pacaembu, pelo Paulistão.

Criticado pelos torcedores, Ronaldo assumiu a responsabilidade pelos seus erros na última quarta-feira e pediu para a cobrança dos torcedores recair sobre os jogadores mais experientes, como ele, e não sobre os mais jovens, como o meia Morais, que deixou o campo vaiado contra o Paulista e foi substituído por Iarley. "A gente dá a cara para bater sempre, mas tenho que proteger os garotos. O clube oferece muito para a gente e temos que fazer tudo para ter tranquilidade", comentou o atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.