Getafe pensa em ato contra racismo

Os jogadores do Getafe, da primeira divisão espanhola, devem entrar em campo no seu próximo jogo pelo campeonato do país com os rostos pintados de negro. Esta seria uma manifestação para condenar o racismo na Espanha, depois dos insultos xenófobos de alguns torcedores do clube contra o atacante camaronês do Barcelona, Samuel Eto?o, na partida da última rodada entre as duas equipes.O presidente do Getafe, Angel Torres, anunciou na emissora Punto Radio que vai propor esta iniciativa aos seus jogadores para o jogo contra o Villarreal."Rejeitamos o racismo e a xenofobia e vamos demonstrar isso. Vou propor aos meus atletas que joguem com o rosto pintado no próximo jogo em casa", declarou Angel Torres. O dirigente disse que os insultos racistas partiram de "três ou quatro energúmenos" que serão proibidos de entrar no estádio caso se comprove que são sócios do clube.Vários jogadores da equipe se mostraram dispostos a aceitar a sugestão do seu presidente, entre eles o romeno Gica Craiovenu, que ainda sugeriu que se realize uma partida contra o racismo na Espanha.Com a continuidade das manifestações racistas, a pressão cresceu para que a Federação Espanhola de Futebol aja contra o treinador da seleção, Luis Aragonés, por seus comentários depreciativos sobre o francês Thierry Henry, que joga no Arsenal, no mês passado. As declarações do técnico teriam alimentado o comportamento de torcedores espanhóis no amistoso contra a Inglaterra, no último dia 17, e no jogo do dia 24 entre Real Madrid e Bayer Leverkusen pela Liga dos Campeões, ambos no Santiago Bernabéu, em Madri. A pressão vem do Comitê Antiviolência do país, que se reunirá com o presidente da Federação no dia 10 para exigir ações contra Aragonés.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.