Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Geuvânio comemora estreia com o 'pé esquerdo' no Santos

Atacante marca dois na estreia do Campeonato Paulista contra o Ituano e aposta no retorno da boa fase vivida no início de 2014

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

02 de fevereiro de 2015 | 07h45

Geuvânio, com dois gols - o primeiro, muito bonito, de pé esquerdo - e participação nas principais ações ofensivas do time, foi o destaque do bom início de Campeonato Paulista do Santos, com a vitória por 3 a 0 contra o Ituano, na noite de domingo, na Vila Belmiro. E depois do jogo o atacante comemorou a volta do futebol que fez dele o melhor jogador da competição estadual do ano passado.

"Graças a Deus comecei bem. Fazer dois gols logo no jogo de estreia é motivo de alegria", disse Geuvânio, que sentiu o desgaste físico por ter corrido demais e pediu para ser substituído depois de marcar o seu segundo gol, o terceiro do Santos. Ele explicou que o primeiro gol não saiu para acaso. "Venho treinando essa batida de fora da área e hoje (ontem) peguei bem na bola que tomou a direção certa".

A atuação de domingo lembrou os melhores momentos de Geuvânio no Paulistão do ano passado, principalmente na fase de classificação. Depois, ele teve uma brusca queda de produção nas semifinais e finais. Ao assumir o Santos no lugar do demitido Oswaldo de Oliveira, Enderson Moreira encontrou Geuvânio sem motivação até para treinar e pediu para o seu auxiliar Luiz Fernando Rosa dar atenção especial para ele. "Depois de algumas conversas, Geuvânio recuperou a confiança no seu futebol e voltou a buscar o seu espaço", disse o treinador.

David Braz, um dos líderes do grupo, gostou do desempenho do Santos na estreia. "Conseguimos jogar 70 ou 80% do que foi treinado na pré-temporada e vamos evoluir de jogo para jogo", disse o zagueiro, que fez questão de agradecer o apoio dos mais de nove mil torcedores que compareceram na Vila, na noite de domingo. "A confiança que o torcedor passa é fundamental nesse início de campeonato".

Como o Santos é visto como a quarta força entre os times grandes, depois de ter perdido Aranha, Edu Dracena, Arouca e Leandro Damião, entre outros, a vitória de domingo, sobre o atual campeão paulista, foi um alívio para alguns jogadores e para o treinador Enderson. "Era um jogo especial, difícil, contra um time que é o campeão paulista e que tem jogadores que estão juntos há um tempo. As dificuldades eram imensas e a equipe se comportou bem", disse o técnico santista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.