Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Geuvânio está entre os melhores do Paulistão, classifica Oswaldo

Com alto aproveitamento no Santos, jogador atinge marca de sete gols em 15 jogos na temporada

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

30 de março de 2014 | 11h30

SANTOS - Com a quase certeza da classificação do Santos para decidir o título, Geuvânio tem grande possibilidade de ser eleito o melhor jogador do Campeonato Paulista se mantiver as boas atuações e o alto aproveitamento nas finalizações nos três jogos restantes. A opinião é de Oswaldo de Oliveira, que considera Alan Kardec, do Palmeiras, outro concorrente forte.

"O craque do campeonato saberemos só depois do último jogo. O que aconteceu até agora tem de ser visto de forma proporcional, mas acho que Geuvânio tem chances de ser, como Thiago Ribeiro, por exemplo, que no aspecto tático tem se destacado muito. Vejo Alan Kardec como outro grande destaque do campeonato. Eu torço para que isso aconteça (Geuvânio ser o eleito)".

Caveirinha (apelido que Geuvânio recebeu dos jogadores do Jabaquara, há três anos, por ser magro demais) marcou sete gols em 15 jogos, com a média de quase um a cada duas partidas, alta para segundo atacante. Ele divide a artilharia do time com Cícero. Além dos gols, Geuvânio deu o passe final para outros 11 anotados pelos companheiros e se destaca pela eficiência nos passes e na ajuda na marcação.

Geuvânio começou a temporada com muitas dúvidas na cabeça. Claudinei Oliveira, treinador que havia dado algumas oportunidades para ele no fim de 2013, não foi mantido no clube e não sabia o que poderia esperar de Oswaldo de Oliveira, o sucessor. Com a contratação de Leandro Damião, por R$ 42 milhões, na maior negociação da história entre clubes brasileiros, suas chances de ser titular ficavam reduzidas quase a zero porque Thiago Ribeiro tinha lugar garantido no time. Além disso, Giva, Neilton e Victor Andrade estavam mais cotados. Em menos três meses, Geuvânio se tornou um dos mais importantes jogadores do time, colocando-se no mesmo patamar de Aranha, Cícero e Thiago Ribeiro, mas não se considera o substituto de Neymar e nem o melhor do time.

"Neymar é um dos melhores do mundo e eu estou só começando. Tenho muito a aprender ainda e trabalho com seriedade para me manter no time", disse o atacante, que no ano passado, sem espaço no Santos, disputou o Campeonato Paulista pelo Penapolense e ao retornar ao grupo por pouco não foi dado de graça a um clube pequeno de Portugal. Foi Luis Alvaro, presidente afastado, que impediu a sua saída, além de dar um novo contrato para o atacante.

Para Oswaldo, Geuvânio conquistou com méritos o seu lugar no time. "Não foi nenhum favor meu. Geuvânio se destacou no ano passado. Não entrou de graça no time e nem está beirando a condição de melhor jogador no campeonato à toa. É a continuação do que já estava sendo feito. Eu observava Geuvânio desde o ano passado, quando foi aproveitado por Claudinei (Oliveira) nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro", disse o treinador santista.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.