Giba exige concentração máxima na Lusa

Preocupado com a irregularidade da Portuguesa no Campeonato Brasileiro da Série B, o técnico Giba quer aproveitar a semana de trabalho no Centro de Treinamento, em Itu, para chegar à ?concentração máxima?. Este seria o remédio para evitar males que podem acompanhar o time no quadrangular final e provocar sintomas como o ?desligamento? e a ?travada?. ?Nós temos uma campanha regular. Nesta segunda fase, fomos bem em quatro jogos e muito mal em dois. É muito estranho porque, às vezes, a desconcentração dá uma travada. O time desliga. É contra isso que estamos trabalhando?, explicou Giba, que aproveitou bem o trabalho em dois períodos nesta terça-feira. Pela manhã, fez um físico-técnico e, à tarde, repetiu a dose com reforço para o posicionamento defensivo. ?É preciso acertar o jogo aéreo porque andamos falhando neste quesito?, justifica. Outro aspecto focado pela comissão técnica é a finalização, ponto também deficiente nos últimos jogos. Revelando uma preocupação com o time como um todo, Giba não parece preocupado com as baixas sofridas em Campinas, no empate de 1 a 1 com o Guarani: o lateral-direito Wilton Goiano, o volante Rafael Toledo e o zagueiro Émerson. A escalação será definida somente na quinta, quando a delegação retornará para São Paulo. O provável é que Maurício entre na lateral e a volta de Almir, que cumpriu suspensão, na vaga aberta no meio-campo. Dependendo dos treinamentos, não está descartada a volta do atacante Leandro Amaral, que completou 200 jogos com a camisa do clube, onde é o quarto maior artilheiro, com 110 gols. Além disso, com 65 gols, é o maior goleador do Canindé. ?Com um retrospecto desse, Leandro não é um jogador que pode ser menosprezado numa fase importante?, reconhece Giba, esperando uma reação do jogador.

Agencia Estado,

18 de outubro de 2005 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.