Giba reclama de árbitro da estréia

O técnico Giba não gostou nada da escalação do árbitro Wilson Luiz Seneme para apitar a partida entre Portuguesa e Guarani, neste sábado, no Canindé, na estréia na fase semifinal do Campeonato Brasileiro da Série B. O motivo da desconfiança é a visita feita por José Luiz Lourencetti, presidente do Guarani, à sede da Federação Paulista, na última segunda-feira. Na ocasião, ele pediu a indicação de um árbitro de pulso. E indicou Seneme. ?A partir do momento em que houve uma sugestão, ela não deveria ser aceita, até para evitar desconfianças?, diz Giba, antes de elogiar Seneme. ?É um grande árbitro, não tenho nada contra ele, mas sempre é bom evitar problemas?. O atacante Leandro Amaral endossou as palavras de Giba, mas Fernando Gomes, diretor de futebol, preferiu falar em coincidência. ?O Marco Polo del Nero é um grande presidente e não aceitaria sugestão de ninguém. Nós não temos nada a reclamar e eu considero os árbitros de São Paulo os melhores do Brasil?. Para evitar problemas, Giba aposta também em uma grande partida de seu time. Para isso, comandou nesta quinta um treino tático de uma hora e meia, em que cuidou, com muito capricho, do posicionamento defensivo e ofensivo de seu time. Quer evitar problemas com os contra-ataques do Guarani, sempre puxados por Vagner e aposta também no bom momento do time. ?A Portuguesa ficou as 21 rodadas do campeonato entre os oito primeiros. Além de nós, apenas o Santo André e o Santa Cruz conseguiram isso. É uma prova de que estamos preparados para esse quadrangular e depois para brigar pelo acesso?. A aposta agora é nos jogadores mais talentosos. ?Nosso esquema tático está bem definido. Os jogadores conhecem todas as variações possíveis. Com apenas um grito, já sabem como mudar de posicionamento e posso dizer que o time está pronto. Com uma jogada do Cléber, do Leandro Amaral, com um bom chute do Rafael Toledo, podemos fazer a diferença e conseguir a classificação. Estou muito animado. Ainda temos muito a mostrar?, disse Giba. O time está escalado com Gléguer; Wilton Goiano, Du Lopes, Silvio Criciúma e Leonardo; Almir, Rodrigo Pontes, Rafael Toledo e Cléber; Johnson e Leandro Amaral. As prováveis mudanças durante o jogo são a entrada de Emerson na zaga, montando o time no 3-5-2, com a saída de um atacante para se segurar um resultado favorável, ou a ida de Maurício para a lateral-direita e a passagem de Wilton Goiano para o meio, montando-se um time mais ofensivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.