Marcio Fernandes/Estadão
Marcio Fernandes/Estadão

Gil comemora futura ausência de Emerson e Guerrero contra o Fla

Corinthians fez um pedido para não encarar seus ex-jogadores

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

26 de junho de 2015 | 18h53

A declaração do presidente Roberto de Andrade de que os atacantes Emerson Sheik e Guerrero, do Flamengo, não vão enfrentar o Corinthians, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi comemorada por Gil nesta sexta-feira. Para o zagueiro, as prováveis ausências dos ex-companheiros poderá facilitar o seu trabalho na partida agendada para o dia 12 de julho, no Maracanã.

"Que bom se não puderem jogar, mas vamos continuar fazendo nosso trabalho", afirmou Gil. Nesta sexta-feira, em entrevista à TV Bandeirantes, Andrade afirmou que foi feito um acordo para que a dupla de atacantes não vai enfrente o Corinthians.

"O contrato do Guerrero iria até 15 de julho e o jogo nosso com o Flamengo é no dia 12. Só que, na quarta-feira que antecedeu Corinthians x Palmeiras ele resolveu não jogar, porque teve um problema no aeroporto depois do jogo com o Fluminense. Já sabíamos que ele não ia renovar, então eu conversei com o seu agente, ele abriu mão do salário, mas eu pedi que ele não jogasse contra o Corinthians. O Sheik é quase igual, mas eu ainda continuo pagando o salário dele. O presidente do Flamengo concordou e eles não jogam contra o Corinthians", afirmou o dirigente.

Com relação à situação de Emerson, há até uma multa estabelecida no contrato para o atacante não enfrentar o Corinthians. O atacante deixou o clube no início do mês após quatro temporadas e chegou a receber uma homenagem da diretoria antes da partida contra o Internacional.

Já Guerrero se apresentou à seleção peruana para disputar a Copa América sem nem se despedir dos companheiros. O atacante, inclusive, deixou o seu material de trabalho no CT do Parque Ecológico.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansGil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.