Gil espera chance de começar jogando

Ele entra o time melhora. Assim está sendo a rotina do jovem Gil, de 20 anos, que está empolgado com a chance de começar jogando. "Respeito o treinador, que entende muito e vai saber a hora de me colocar. No entanto, sempre deixo claro que quero ser titular. Se a oportunidade surgir, vou entrar ligado para agarrá-la." Gil é outro destes garotos que sofrem para chegar ao futebol. Nascido em Andradina, interior de São Paulo, teve no incentivo da mãe Rosângela, a força para superar as adversidades. "Minha mãe deixava de comprar algo para ela, tirava o dinheiro contado das despesas para me dar chuteira, caneleira e material, sempre do melhor. Hoje retribuo pelo sacrifício dela." A maior dificuldade foi viver longe da família. ?Morei três anos nos alojamentos do clube. É difícil ficar três meses ou as vezes mais sem ver seus familiares. Porém, a recompensa veio. Plantei no passado e agora estou colhendo os frutos," lembra.Ao contrário de outros jogadores, Gil não sonha com carros importados. "Penso no futuro, a minha realidade aqui é outra. O que recebo coloco na poupança." Com contrato até 2005, não pretende deixar o clube cedo. ?Só saio daqui quando tiver muita experiência."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.