Gil irá fazer tratamento intensivo

Gil vai passar o fim de semana de castigo, na concentração do Corinthians, fazendo tratamento no músculo adutor da coxa esquerda. Por inocência ou por ingenuidade, ele não avisou o técnico Geninho e o médico Paulo de Faria que não estava 100% para enfrentar o Grêmio, neste domingo, no Pacaembu.Sem querer, ao participar do coletivo como titular na sexta-feira, acabou prejudicando o trabalho do técnico. Geninho contava com a volta de Gil e nem testou outra formação.O técnico e o médico Paulo de Faria ficaram surpresos quando viram na imprensa uma entrevista com o jogador, dizendo que não estava 100% para enfrentar o Grêmio. "Ainda me sinto inseguro para chutar com o pé esquerdo", revelou Gil.Antes do rachão deste sábado, Gil confirmou para o técnico e para o médico o que tinha dito aos jornalistas. Foi imediatamente sacado da equipe - e do treino. Mesmo assim, para demonstrar que a lesão no músculo adutor da coxa estava curada, a comissão técnica mandou que o jogador desse algumas corridas em torno do campo. Além disso, Gil não foi liberado da concentração: seguiu para o hotel com os demais convocados e vai dar seqüência ao tratamento médico. "Estando na concentração, ele terá a chance de se recuperar da dor, podendo jogar na quarta-feira", explicou o médico, que ainda garantiu não se tratar de um castigo. "Isso é uma coisa normal. O Gil treinou, sentiu dores no médio adutor da coxa esquerda e não vai jogar", acrescentou Paulo de Faria.O médico do Corinthians, no entanto, confirmou o que disse na véspera: não há mais lesão no atacante. "Os exames mostraram que o Gil está recuperado. Mas é aquilo que eu disse: exame não joga. Quem entra em campo é o atleta. Se ele diz que ainda dói, não pode jogar".Gil e Geninho não falaram com a imprensa neste sábado. Na eleição dos escolhidos deu Kléber, Marquinhos, Jamelli e Abuda. Melhor para Abuda, que ganhou mais uma chance como titular. Depois de enfrentar o Grêmio, na segunda-feira ele se apresenta à seleção Sub-17 que disputará o Mundial da categoria na Finlândia. "Só espero fazer uma boa despedida. De preferência, com um gol."

Agencia Estado,

26 de julho de 2003 | 16h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.