Gil leva a melhor diante do estreante Robinho na Vila Belmiro

Beque corintiano anula rival e ainda faz o gol da vitória do seu time fora de casa: o resultado coloca time de Mano lá em cima na tabela

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2014 | 19h54

Robinho já não é mais invencível contra o Corinthians. Doze anos depois de despontar para o futebol justamente contra o rival do Parque São Jorge, na final do Campeonato Brasileiro de 2002, o atacante conheceu neste domingo, na Vila Belmiro, a sua primeira derrota para o Corinthians, que venceu por 1 a 0, com um gol de Gil, marcado quatro minutos depois de Robinho ser substituído por Geuvânio.

Dono de um ótimo retrospecto contra o Corinthians – até ontem eram oito vitórias e um empate –, o atacante foi o melhor jogador do Santos, recebeu aplausos da torcida, mas não evitou a derrota. Com o triunfo, o Corinthians subiu para a terceira colocação do Brasileiro, com 27 pontos, e diminuiu a distância para o líder Cruzeiro, que tem 30. Já o Santos, com 20, continua longe do G-4.

Empurrado pela sua torcida, que lotou a Vila para receber Robinho, o Santos começou o jogo melhor e encurralou o Corinthians no seu campo de defesa. Com troca de passes em velocidade e a marcação avançada, a equipe não dava espaço para o adversário e com dez minutos já havia criado duas boas chances para abrir o placar.

Acuado, o Corinthians só ameaçava nas jogadas de bola parada. Aos 16 minutos, após cobrança de falta de Fábio Santos, Cleber cabeceou bem e exigiu boa defesa de Aranha – no rebote Guerrero mandou para fora. O Santos controlava as ações ofensivas da partida, mas errava demais nas finalizações. Aos 24 minutos, por exemplo, Arouca fez boa jogada pela direita e passou para Thiago Ribeiro, que chutou para fora. No minuto seguinte, foi a vez de Robinho, pela esquerda, bater pela linha de fundo.

O jogo era tenso, com muitas faltas e reclamações com a arbitragem. Só no primeiro tempo, o árbitro Raphael Claus distribuiu cinco cartões amarelos e, já nos acréscimos, expulsou Alison por matar um contra-ataque do Corinthians com uma falta por trás em Elias. O garoto deixou o campo chorando.

GIL OFUSCA ROBINHO

No segundo tempo, o Corinthians voltou melhor. O time conseguia manter mais a bola no campo de ataque e, com isso, segurava as investidas do Santos, que apostava nos contra-ataque ou em alguma falha do adversário, como aos oito minutos, quando Guilherme Andrade entregou a bola nos pés de Robinho, que chutou para fora, cruzado.

As entradas de Renato Augusto, Romarinho e Ferrugem nos lugares de Petros, Jadson e Guilherme Andrade, respectivamente, renovaram o fôlego do ataque do Corinthians. O time passou a apresentar variação de jogadas que não teve no primeiro tempo. Os laterais atacavam mais e a bola chegava mais "redonda" para os atacantes.

Para complicar ainda mais a vida do Santos, aos 35 minutos Robinho foi substituído por Geuvânio. Sem o seu principal jogador, o time perdeu força no ataque e logo levou o gol. Aos 39 minutos, Renato Augusto cobrou escanteio na cabeça de Gil, que subiu mais do que a defesa para balançar a rede.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.