Gil não sabe o que encontrará em janeiro

O atacante Gil vê o ano acabando, mas mal consegue pensar em programas para as férias. Isso porque, com os inúmeros reforços prometidos pela nova parceira do clube, a MSI, não sabe o que vai encontrar no Parque São Jorge quando voltar em janeiro. "O Corinthians deve mudar muito e espero que ainda contem comigo. Como não vieram me falar nada sobre venda ou transferência, acredito que eu fico", torce, mais do que acredita.Dentre as centenas de especulações levantadas após o fechamento da parceria, uma delas é a de que Gil será utilizado como moeda de troca pelo fundo de investimento, em uma eventual negociação com um atleta europeu. "Se fosse para eu sair, acho que a diretoria do clube já teria me dito alguma coisa", contou o atacante, que tem contrato até o fim de 2005.Imaginando-se titular após seu retorno, sonha em ter grandes estrelas ao seu lado. "Minha melhor fase foi em 2002, com um time cheio de grandes jogadores, espero repetir isso em 2005." Gil não escondeu também que a provável contratação do técnico Vanderlei Luxemburgo não o desagrada: "Está parecendo que ele vem mesmo né, e para mim é bom.Sempre me dei bem com ele, nunca tive problema algum e espero que ele acredite no meu futebol." Gil deve ser dispensado mais cedo para as férias - informação dada pelo atleta e praticamente confirmada pelo diretor de Futebol, Paulo Angioni. Joga contra o Botafogo, domingo, e viaja para Andradina, cidade onde mora seus pais, segunda-feira.Mais dois nomes passaram a ocupar a abalroada lista de possíveis reforços. Dininho, zagueiro do São Caetano, disse ter sido procurado, mas achou baixa a proposta feita para comprá-lo. Na posição de atacante, Reinaldo e Vágner Love ganharam a companhia de Mota, do Cruzeiro, mais um que estaria nos planos da MSI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.