Gil sonha com Kleber e Ricardinho

Poucas vezes no futebol um atleta quis tanto a contratação de dois jogadores como Gil no Corinthians. Ele sofre de uma saudade aguda de Ricardinho e Kleber. Como os dois jogadores estão com problemas no Middlesbrough e Hannover, o vice-presidente Roque Citadini tem conversado diariamente com ambos para convencê-los a retornar ao Parque São Jorge. "Seria perfeito. A minha melhor fase no futebol se deve aos dois. Nosso entrosamento era maravilhoso. O Parreira cansou de dizer que nós formávamos o melhor lado esquerdo de um time do mundo. Respeito os atletas que estão aqui, mas torço mesmo pela volta de Ricardinho e Kleber", assume.Por uma questão de ética, Gil preserva os meias e laterais que estão no Corinthians. Por falta de talento, o atacante teve de ser adaptado na meia para tentar partir com a bola dominada, já que ela não chegava em boas condições nos seus pés.O jogador afirma que começa a viver uma nova fase na sua vida. Revela que atuou ?triste? durante o Campeonato Paulista. "Eu estava atuando com problemas pessoais. As dores no púbis estavam me prejudicando demais. Não queria falar sobre o assunto. Sinto agora que me recuperei. Por isso tenho ânimo para voltar a brincar, fazer piadas. Quero voltar a ser o atacante que deu muitas alegrias ao Corinthians."O treinador Oswaldo de Oliveira trata de exercer as suas tendências a psicólogo com Gil. Os dois têm conversado diariamente. "O Gil tem um enorme potencial. Todos sabem disso. É normal um atleta passar por um momento em que não joga o que sabe, o que pode. Mas isso irá mudar. A sua vontade de se recuperar é imensa."Pré-temporada - Enquanto Gil começa a sorrir, Oswaldo pensa muito se irá ou não levar todos os 35 atletas em condições para pré-temporada em Extrema nesta segunda-feira. Ele sabe que não utilizará tantos no Campeonato Brasileiro. Nem pretende. Deseja dispensar no mínimo dez atletas. Só que a diretoria pretende ?evitar? ao máximo a famosa lista dos que não servem ao clube. A preocupação do vice, Citadini, é não desvalorizar ainda mais os atletas que fracassaram no Parque São Jorge.Até mesmo os jogadores sabem que fazem parte da dispensa. Careca, Julinho, Adrianinho, Samir e Régis Pitbull encabeçam a óbvia relação. "Eu não vou fazer lista de dispensa. Isso não existirá no Corinthians. Se um atleta sair ou outro for contratado não tem nada demais. Essa é a rotina do futebol quando acaba um campeonato", resume o técnico.Os jogadores ameaçados estão tão tensos e amargurados que não aceitam sequer dar entrevistas. "Acho que os atletas precisam acreditar que irão reverter a situação. O futebol tem milhares de histórias de atletas desacreditados que acabaram fundamentais nas conquistas dos seus clubes. Não existe motivo para baixar a cabeça", afirma Gil, tentando animar o preocupadíssimo grupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.