Gil vira talismã de Luxemburgo

O atacante Gil não se incomoda em ser o talismã do técnico Wanderley Luxemburgo. O treinador tem apostado na velocidade e habilidade do atacante de 20 anos para mudar a situação da partida. Foi assim na vitória, de virada, sobre o Santos por 2 a 1, ontem, no Morumbi, pelas semifinais do Campeonato Paulista. Depois de muito mistério em torno da escalação da equipe do Corinthians, o técnico optou pela experiência de Paulo Nunes, e deixou Gil, de 20 anos, no banco. Mas aos 11 minutos do segundo tempo, com o jogo empatado por 1 a 1, Luxemburgo tirou Paulo Nunes e pôs Gil. O Santos já armava uma retranca para garantir o resultado que daria a classificação para o time da Vila Belmiro. "Minha missão era jogar aberto e tentar as jogadas individuais sobre a defesa deles. Era uma das chances que a gente teria para furar a retranca", disse Gil. Ao ser lançado por Andrezinho, partiu para cima do zagueiro André Luís, que havia entrado há pouco na partida. "Fui para a linha de fundo, e consegui enganar o adversário ao pisar na bola. Ele escorreu e caiu, e eu também quase caí, porque a grama estava molhada. Mas consegui me manter de pé, levantei a cabeça e vi o Marcelinho entrando na área. Fiz o passe, porque sabia que era nossa última chance na partida." O jovem atacante disse que "gelou" quando viu que Marcelinho deixou a bola passar, como se estivesse desperdiçado a jogada. "Me deu vontade de gritar, chuta, chuta, e soltar um palavrão. Mas aí eu vi que fez de propósito o corta-luz para o Ricardinho, que estava atrás. Foi muita emoção ver aquela bola entrar", lembrou Gil.O atacante comemorou a vitória com Andrezinho e Marcelo, seus companheiros desde os tempos dos juvenis do Corinthians. ?Eu moro sozinho no Tatuapé, e o jeito foi festejar a vitória com eles em uma churrascaria." Mas ao chegar do Morumbi, logo após a partida contra o Santos, Gil telefonou para sua mãe, Rosa, em Andradina. "Ela estava muito emocionada. Disse que foi seu melhor presente no dia das mães, e me garantiu que na última partida contra o Botafogo, estará no Morumbi. Prometi que não vou decepcionar"Gil luta para ser efetivado na equipe. "O professor Luxemburgo tem conversado muito comigo. Pediu para eu ter calma, não me descuidar nunca, que minha hora vai chegar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.