Divulgação/Vipcomm - 21/02/2010
Divulgação/Vipcomm - 21/02/2010

Gilberto pede cuidado ao Cruzeiro com catimba uruguaia

Lateral-esquerdo alerta sobre possível confusão na partida desta quinta contra o Nacional, pela Libertadores

AE, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 15h08

Um dos jogadores mais experientes do elenco do Cruzeiro, Gilberto acredita que a catimba do Nacional será um dos principais adversários da equipe no duelo de quinta-feira pelas oitavas de final da Libertadores. Por isso, ele pede para os companheiros do time mineiro não caírem nas provocações do time uruguaio.

"Argentinos, uruguaios, chilenos e bolivianos às vezes não conseguem ganhar dos brasileiros jogando bola, então, eles têm que provocar a gente e fazem o possível para arrumar confusão. Faz parte e Libertadores é isso mesmo. Mas temos que estar concentrados no que fazemos de melhor e tentar fazer o resultado", afirmou.

Em 2002, quando defendia o Grêmio, Gilberto também enfrentou o Nacional na Libertadores. "Sempre que joga fora de casa em fases finais da Libertadores, o Nacional atua com duas linhas de quatro. Muitas vezes só com um atacante. Foi assim em 2002, quando jogava no Grêmio e vencemos por 1 x 0 no Olímpico. Depois empatamos por 1 x 1 em Montevidéu e nos classificamos", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.