Gilberto pede jogo cadenciado do Cruzeiro na altitude

O Cruzeiro tem uma possível solução para enfrentar a altitude de quase quatro mil metros em Potosí na partida contra o Real Potosí, quarta-feira, pela fase preliminar da Copa Libertadores. Para o lateral-esquerdo Gilberto, a equipe brasileira precisa ditar o ritmo do jogo e cadenciar suas ações.

AE, Agencia Estado

26 de janeiro de 2010 | 16h44

"Sabemos que não vai ser fácil. Normalmente as equipes que jogam na altitude imprimem um ritmo muito forte no início, para desgastar o adversário. Mas a equipe do Cruzeiro já sabe disso e vamos procurar tocar e cadenciar o jogo, até porque temos qualidade técnica para isso", avaliou o lateral, que desde o ano passado vem atuando na armação.

Gilberto reforçou ainda a importância de conseguir um bom resultado. Assim, o Cruzeiro jogará com mais tranquilidade no jogo da volta, em Belo Horizonte. "Em uma altitude dessas não tem como você forçar a partida ou o ritmo de jogo. Mas o mais importante é conseguirmos um resultado positivo para o jogo de volta", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.