Lucas Merçon/Fluminense FC
Lucas Merçon/Fluminense FC

Gilberto revela que teve de se controlar para não brigar com torcedores do Flu

Lateral tem sido um dos alvos dos torcedores nas últimas partidas

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2019 | 16h17

Um dos atletas mais criticados atualmente no Fluminense, o lateral-direito Gilberto lamentou, nesta quarta-feira, a fase ruim do time, momento que, de acordo com o jogador, o obrigou a se controlar muitas vezes para não discutir com torcedores.

A equipe abre a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro com 35 pontos, em 17.º lugar, e vem de um empate com sabor de derrota para o Atlético-MG, contra o qual deixou escapar a vitória nos minutos finais da partida do último sábado, no Maracanã.

"Aqui no Brasil ainda não tinha vivido esse momento, de lutar contra o rebaixamento. E sempre ouvia de companheiros que já passaram por isso que não deixasse o time ficar nessa situação porque para subir tudo parece que dá errado. Teve esse jogo com o Atlético-MG, dominamos no primeiro tempo, tivemos chance para ampliar, mas no final acabaram empatando o jogo", relatou o camisa 2, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, no CT Carlos Castilho.

Gilberto considera que sua melhor fase no clube ocorreu no ano passado, o que acabou por criar uma certa expectativa da torcida que não foi mais correspondida. "Eles querem o Gilberto do ano passado e estou dando o máximo para melhorar", afirmou o jogador.

Ele se refere à fase ruim em termos individuais, que acabou coincidindo com um ano difícil para a equipe coletivamente e fez dele um alvo certo da insatisfação dos torcedores.

"Nunca tinha vivido um momento assim, de o torcedor estar pegando tão firme no meu pé como foi desta vez. Tive que ouvir e ficar calado muitas vezes, passando ali no corredor, com torcedor bem pertinho falando coisas ruins, com minha família do lado. Sou um cara de pavio curto, explosivo, e me controlei bastante porque sei que o torcedor está na razão dele", contou.

O lateral-direito comentou também sobre a próxima partida, que acontece na segunda-feira contra o CSA, pela 34.ª rodada do Brasileirão. No primeiro turno, uma derrota para os alagoanos no Maracanã acabou na demissão do então treinador Fernando Diniz. "É um novo jogo, que pode marcar o contrário, que é nossa reviravolta no campeonato. Temos que estar com esse pensamento, com o máximo de positividade para levar para o campo, pois é isso que precisamos no momento", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.