Érico Leonan/São Paulo FC
Érico Leonan/São Paulo FC

Gilberto se arrepende do passado e espera ser 'mais um louco no bando'

Atacante preferiu ir para o Internacional ao invés do Corinthians, em 2011

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

16 Janeiro 2018 | 16h12

O atacante Gilberto falou pela primeira vez sobre a negociação com o Corinthians e admitiu que se arrepende de não ter aceitado a oferta do clube em 2011, algo que até hoje causa irritação e rejeição de boa parte da torcida corintiana. Sem clube, ele afirmou que está ansioso para acertar logo com a equipe alvinegra.

+ Corinthians deve confirmar Matheus Vital nesta terça-feira

“De 0 a 10, por mim é 10 (a chance do negócio sair). Essa parte não sei (sobre a negociação), só sei da minha vontade. Fico ligando para ele (empresário) direto, mas ele não gosta de conversar muito, de falar sobre o que está acontecendo. Deixa acontecer naturalmente. Até para eu não ficar ansioso demais", comentou o atacante, em entrevista à Fox Sports.

Animado, Gilberto até já manda recado para a torcida. "Quero ser mais um louco no meio do bando, e é isso que tenho para falar", afirmou. Animado com a possibilidade de acerto, ele já sonha cair nas graças dos corintianos. “Tenho certeza que onde eu for, vou arrebentar, fazer gols e fazer o time ser campeão”, completou.

O jogador ainda comentou sobre a rejeição da torcida, que tem utilizada as redes sociais para deixar claro a insatisfação com a possível chegada do atacante. Em 2011, Gilberto, então no Santa Cruz, tinha conversas adiantadas com o Corinthians, mas na hora da transferência, preferiu fechar com o Internacional.

"Sem dúvida, se tem uma coisa que eu fiz na vida e me arrependi, foi ter rejeitado (o Corinthians) naquela época. Achamos que era uma coisa e não era aquilo. Quem tomava conta era meu pai, a gente não tinha instrução de nada. Pode ter atrapalhado o começo da minha história como jogador de futebol em time grande", justificou-se.

 

Mais conteúdo sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.