Gilberto se desculpa por expulsão contra o Real Potosí

Após ser punido pela diretoria do Cruzeiro, o meia Gilberto pediu desculpas pela expulsão no jogo contra o Real Potosí, na noite de quarta-feira, na Bolívia, no jogo de ida da fase preliminar da Copa Libertadores.

AE, Agencia Estado

28 de janeiro de 2010 | 22h33

Um dos jogadores mais experientes do elenco, Gilberto agrediu o seu marcador após falta no meio-de-campo e acabou sendo expulso aos 20 minutos do primeiro tempo. O Cruzeiro vencia por 1 a 0, mas acabou sofrendo o gol de empate no final do jogo, após forte pressão dos donos da casa, que estavam em vantagem numérica.

"Peço desculpas por ter deixado a equipe em uma situação delicada. Era o primeiro jogo da primeira fase da Libertadores, decisivo para nós, e acabei tomando esse tipo de atitude, não tem justificativa o meu ato", declarou o jogador, que já defendeu a seleção brasileira.

A expulsão de Gilberto atrapalhou a estratégia do Cruzeiro, que se esforçou para enfrentar a altitude de 4 mil metros de Potosí. O time brasileiro conseguiu o que queria ao sair na frente com gol no início. No entanto, o cartão vermelho obrigou o técnico Adilson Batista a recuar a equipe, que acabou não resistindo à pressão dos anfitriões.

Gilberto reconheceu o erro e classificou sua postura de "insana e impensada". "Fiquei muito chateado com minha atitude, que foi insana, impensada e de uma pessoa desequilibrada, coisa que não sou. Não tem justificativa. Houve provocação, contato físico e o cara acabou me chutando. Estendi a mão para ele se levantar e ele teve uma atitude ríspida. Naquele instante, o sangue subiu e tive uma reação que não deveria ter tomado", explicou.

A atitude do meia rendeu uma multa, anunciada pela diretoria do clube nesta quinta. O atleta avisou que aceitará a sanção. "Tenho plena consciência da minha responsabilidade e assumo qualquer tipo de multa ou punição que a direção venha a tomar. Isso não pode se repetir com nenhum outro jogador do clube", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.