Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Gilson Kleina não dá prazo para retorno de Valdivia ao Palmeiras

Técnico evitou falar em datas para a volta do chileno, que trata edema na coxa direita

CIRO CAMPOS, Agência Estado

23 de agosto de 2013 | 12h54

SÃO PAULO - O técnico Gilson Kleina, do Palmeiras, evitou nesta sexta-feira prever o retorno do meia Valdivia ao time. No dia anterior o chileno foi a campo pela primeira vez para correr pelo gramado do centro de treinamento do clube como nova etapa do tratamento de um edema na coxa direita.

A expectativa era que o jogador voltasse à equipe já na próxima quarta-feira, no jogo de volta contra o Atlético-PR, pela Copa do Brasil, em Curitiba. "Ele começou a transição e faz o trabalho específico de fortalecimento com os preparadores físicos. Esperamos a próxima semana para ter mais definições", explicou.

Para o jogo deste sábado contra o Boa, fora de casa, a equipe vai a campo modificada justamente para priorizar o compromisso pela Copa do Brasil e na função do chileno estará o meia Felipe Menezes.

O jogador assume a vaga de Mendieta, que foi o titular na função nos últimos três jogos. O paraguaio ficará no banco de reservas para ganhar um descanso. "Temos que entender a necessidade de recuperar melhor os jogadores nesse grande números de partidas que temos feito. Vamos respeitar o desgaste de cada um", disse o técnico, que optou por não relacionar para o jogo o goleiro Fernando Prass, o zagueiro Vilson, o lateral-esquerdo Juninho e o atacante Leandro.

O problema de Valdivia foi detectado enquanto o jogador estava em Copenhague, na Dinamarca, em compromisso pela seleção do Chile na semana passada. A comissão técnica descobriu a lesão e poupou o atleta do amistoso com o Iraque. Desde que retornou ao Palmeiras, na última sexta-feira, o meia tem passados últimos dias fazendo trabalhos de reforço muscular.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasSérie B

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.