Gionédis recupera presidência na justiça

Depois do rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro, a situação do Coritiba não está nada tranqüila também fora de campo. Ninguém sabe quem será o presidente do clube a partir do dia 5 de janeiro. No sábado, a Justiça concedeu liminar ao atual presidente, o advogado Giovani Gionédis, anulando a decisão da Mesa do Conselho de Administração que, no dia anterior, tinha declarado presidente eleito o empresário José Antonio Fontoura, o Tico Fontoura.Na eleição do último dia 5, Gionédis venceu por apenas um voto. Fontoura recorreu às instâncias administrativas, argumentando que os nove membros da atual diretoria executiva não poderiam ter votado, visto não terem se licenciado, conforme exige o estatuto do clube. O argumento foi aceito e nove votos que, teoricamente, seriam de Gionédis foram invalidados, dando-se a vitória à oposição. A situação rebateu, dizendo que no mesmo dia da eleição os diretores teriam pedido a licença.Em sua decisão, publicada no site oficial do Coritiba, o juiz da 5.ª Vara Cível de Curitiba, Sigurd Roberto Bengtsson, considera que a decisão do Conselho de Administração é "desprovida de lógica e bom senso". E manda que seja mantida a votação do dia 5, quando Gionédis conseguiu 67 votos contra 66, dando-se a ele a posse. Os oposicionistas ainda podem recorrer dessa decisão.

Agencia Estado,

18 de dezembro de 2005 | 12h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.