Gléguer vira herói na Portuguesa

Era impossível esconder a sensação de alívio entre os jogadores da Portuguesa. Enquanto o técnico Gallo dava entrevistas, a festa acontecia dentro do vestiário. Pudera, o time havia vencido apenas um jogo - contra o América, por 3 a 2 -, em onze rodadas. Uma comemoração como se a Portuguesa tivesse conquistado um título, apesar de o time permanecer na zona de rebaixamento. "Foi uma vitória da vontade, da superação. A equipe entrou aguerrida para o jogo e, no segundo tempo, tivemos de mostrar muita vontade para compensar a falta de um homem. Foi uma vitória para o Gléguer. Ele foi fantástico! E essa motivação dele empolgou o restante do time", afirmou o volante Alexandre, autor do segundo gol da Lusa. "O meu gol foi para o Gléguer." A homenagem ao goleiro tem explicação. Alexandre chegou de Pernambucano, onde defendeu o Náutico, há pouco tempo e ainda não conseguiu juntar dinheiro para comprar uma casa. "Ele contou toda essa história na concentração e eu disse que, com a atuação dele nesse jogo de hoje, ele conseguiria comprar uma casa. Por isso ele veio me abraçar e comemorar a vitória comigo", disse Gléguer. O presidente Manuel da Lupa fez questão de agradecer os jogadores, um a um. E depois aproveitou o momento para desabafar: "Antes do jogo vieram me provocar perguntando quanto seria o jogo. E eu fiz questão de lembrar que o jogo só termina no apito do árbitro e que o resultado só ficamos sabendo depois. Tá aí." No início da semana passada, Da Lupa reuniu jogadores e comissão técnica para prestar apoio ao time, mesmo na situação complicada que se encontra no Paulistão. "Eles sempre tiveram o respaldo da diretoria. Nunca vi ninguém de ?corpo mole? aqui. Só estava faltando ganhar. E isso aconteceu hoje contra o Palmeiras", afirmou o dirigente. Manuel da Lupa promete reforçar a Portuguesa para a Série B do Campeonato Brasileiro. "Mas também trouxemos quase todos os jogadores que o Gallo pediu", disse o presidente. "Com quatro vitórias e um empate, a Portuguesa sai dessa situação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.