Globo aciona SBT e FPF na Justiça

A Rede Globo entrou nesta quarta-feira na Justiça em represália ao anúncio da assinatura de contrato entre a Federação Paulista de Futebol (FPF) e do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) pela venda dos direitos de transmissão do Campeoanto Paulista de Futebol de 2003, celebrado na última segunda-feira. A emissora carioca alegou ter a preferência e um prazo até o dia 29, "não respeitados", para decidir pela aquisição do Paulistão do próximo ano.De acordo com a Central Globo de Comunicação (CGCom), a primeira proposta apresentada pela Federação Paulista foi a venda da competição por R$ 12 milhões, com direito a transmissão de uma partida por rodada, totalizando 12 confrontos. A emissora não aceitou e enviou uma carta à entidade informando que, caso a proposta fosse refeita, estaria disposta a estudá-la.No entanto, o contrato assinado com o SBT também determina a venda do Estadual de 2003 pelo mesmo valor, mas com a transmissão de 22 partidas. A emissora paulista divulgou na terça-feira um comunicado explicando que os jogos serão transmitidos às quartas-feiras (às 21h), aos sábados em uma rodada dupla (um jogo às 16h e outro às 18h) e aos domingos (às 11h).Como detentora dos direitos de transmissão do Paulista de 2002, a Globo alegou que tinha o direito de preferência para a renovação do contrato e entrou na Justiça pedindo a impugnação do acordo firmado entre a Federação Paulista e o SBT. A CGCom ainda explicou que, informado da prioridade da Globo, o presidente da entidade Eduardo José Farah deu um prazo até o dia 29, que não foi respeitado.Sobre as acusações feitas pelo SBT de que o "vencido monopólio" está tentando "sabotar o patrocínio e a venda de cotas", a CGCom alegou que está exercendo seu direito contratual ao entrar na Justiça. Ainda classificou de precipitada a atitude da emissora paulista em assinar o contrato com a entidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.