Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Gobbi garante que Mano fica mesmo se perder clássico

'Não é momento de cobrança', disse o presidente do Corinthians. Equipe não vence há cinco jogos

Vítor Marques, Agência Estado

14 de fevereiro de 2014 | 14h09

SÃO PAULO - O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, alterou o tom de voz e se irritou quando foi questionado nesta sexta-feira sobre a permanência do técnico Mano Menezes caso o time perca o clássico deste domingo contra o Palmeiras, às 16 horas, no Pacaembu.

"Trocar técnico é trocar seis por meia dúzia. Chamamos o Mano pelo trabalho que ele já fez aqui na primeira passagem. Nós sabemos o que queremos. Nosso barco tem comando. Mas é preciso ter paciência. Não é momento de cobrança, não se cogita trocar de treinador. É isso que mata no futebol, quem não enxerga isso não vive futebol", afirmou Gobbi.

O discurso do presidente se dá porque foi ele o principal avalista da contratação de Mano Menezes para substituir Tite. O retorno do treinador jamais foi um consenso no clube. Uma ala da diretoria queria o acerto com Oswaldo de Oliveira, hoje no Santos.

O Corinthians não vence há cinco jogos (quatro derrotas e um empate) e, de fato, entra no clássico pressionado a mudar esse quadro. O time é o último colocado no grupo B do Campeonato Paulista e corre risco de rebaixamento.

Diante desse cenário, o técnico reconhece a fase ruim e vê como natural essa cobrança. "Pressão em clube grande é chover no molhado, a gente sabe quando assume um clube grande. O que se está pagando é um preço inevitável. É melhor pagar agora porque vamos estar melhor lá na frente", avaliou Mano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.