Nilton Fukuda/Estadão - 11/10/2013
Nilton Fukuda/Estadão - 11/10/2013

Gobbi minimiza Pato na reserva e descarta sugestões

Dirigente destacou que o técnico ainda deve fazer testes no time corintiano

Vítor Marques, Agência Estado

14 de janeiro de 2014 | 12h40

SÃO PAULO - O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, minimizou nesta terça-feira a decisão do técnico Mano Menezes de deixar o atacante Alexandre Pato entre os reservas no primeiro coletivo desde o seu retorno ao comando da equipe. O dirigente destacou que Mano ainda deve fazer testes no time e descartou completamente a possibilidade de interferir na escalação.

"Quem escala o time é o treinador. Num primeiro momento é prematuro falar sobre um time. O Mano é um técnico experiente e ainda vai fazer alguns testes. Depois, ele vai tomar uma decisão. Aí, todos nos saberemos o que ele vai fazer", disse Gobbi, que teve uma conversa longa, de mais de meia hora com o treinador após o coletivo desta terça-feira.

"Fazia muito tempo que não falava com o Mano. Ele me conhece e fizemos uma dobradinha que deu certo", disse Gobbi, destacando que era diretor de futebol do Corinthians na passagem anterior de Mano pelo Corinthians. "Em três anos essa liberdade não foi violada. Por isso, acho prematuro falar em time. Isso vai brotar com o tempo", avaliou.

O presidente corintiano tentou minimizar a chega da de poucos reforços ao time em 2014, destacando que uma base vem sendo mantida. "Na verdade, o time vem sendo montado desde dezembro de 2008. O último que saiu foi o Alessandro. Temos um grupo seleto, não é à toa que ganhamos tudo, mas não se consegue manter isso sempre", comentou. "Temos um grande time. Ano passado, contratamos Pato, Gil e Renato Augusto. Nosso grupo é forte e espero muito dele, porque já nos deu muitas glórias", completou.

Gobbi garantiu que Mano aprovou o atual elenco do Corinthians e sabe que o clube vai investir pouco nas próximas semanas. "Isso foi discutido com a comissão técnica e se chegou a um consenso que o elenco é qualificado. E isso era o que a gente precisava. Caso precise, investiremos mais para frente", comentou.

O presidente corintiano destacou que as contratações do volante Bruno Henrique e do lateral-direito Fagner ainda não estão sacramentadas. "O Bruno Henrique e o Fagner ainda não estão fechados", disse, explicando que a saída do volante Edenílson pode ser selada nos próximos dias. "O procurador disse que até quinta-feira vai trazer uma proposta", revelou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansMário Gobbi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.