Goiás bate fácil o Atlético-PR e se aproxima dos líderes

No Serra Dourada, equipe esmeraldina faz 3 a 0, chega aos 26 pontos e entra na briga pela vaga na Libertadores

RAFAEL BRAGANÇA, Agencia Estado

29 de julho de 2009 | 23h21

O Goiás conquistou uma vitória com autoridade nesta quarta-feira à noite. Jogando bem, o time goiano venceu o Atlético Paranaense por 3 a 0 no Serra Dourada, somando seu quarto triunfo seguido no Campeonato Brasileiro. Iarley, Araújo e Léo Lima marcaram para construir o placar, que foi resultado da atitude maior do Goiás e da apatia do Atlético, cada vez mais ameaçado pelo rebaixamento.

 

Veja também:

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Agora com 26 pontos, e mais próximo dos líderes, o Goiás volta a campo pela 16.ª rodada do Brasileirão no próximo domingo, quando enfrenta o Santo André fora de casa. A partida, porém, será no Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul. A mudança do local se deu pelas más condições do gramado no estádio da equipe mandante.

Já o Atlético, que não vence há cinco jogos e soma apenas 12 pontos, na zona de perigo, tenta a recuperação diante de um adversário direto na luta contra a queda à Série B. Punido com a perda de um mando por causa dos incidentes entre as torcidas no último clássico contra o Coritiba, a equipe atleticana terá que enfrentar o Fluminense no Estádio do Café, em Londrina, também no domingo.

O JOGO

Embalado pelas últimas três vitórias - sobre Fluminense, Palmeiras e Atlético Mineiro -, o Goiás começou com tudo o jogo no Serra Dourada. Diante de um Atlético atônito, a equipe da casa não teve dificuldade para pressionar e buscar os dois primeiros gols. Dominando a partida e deixando o adversário acuado, o Goiás abriu o placar logo aos seis minutos.

Júlio César fez belo lançamento e encontrou Iarley já perto da área. Depois de se livrar da marcação partindo em velocidade, o atacante dominou com tranquilidade, invadiu a área, cortou para dentro e bateu colocado. Após o gol, o Goiás seguiu melhor. Com o Atlético ainda sem esboçar reação e muito mal na marcação, o segundo gol saiu apenas cinco minutos depois.

Em cobrança de falta na intermediária, Léo Lima levantou para a entrada da área. Mesmo longe do gol, o volante Amaral conseguiu o desvio de cabeça e fez um belo gol, sem chances de defesa para o goleiro Galatto. A vantagem permitiu ao Goiás apenas controlar o jogo no restante do primeiro tempo. O Atlético, por sua vez, só apresentou melhora após os 20 minutos, mas nada que ameaçasse o domínio goiano.

No intervalo, a lamentação atleticana era pelos gols sofridos logo no início do jogo. "Tomamos o gol rápido, depois fica difícil pra correr atrás. Vamos ver se a gente volta melhor no segundo tempo", disse o zagueiro Antônio Carlos. E o defensor tinha razão. Além da falta de atitude, o Atlético não conseguia articular jogadas de ataque, errando muitos passes e tendo pouca movimentação na frente.

Pelo lado do Goiás, porém, sobrava confiança. Ainda no intervalo, bem antes de ser substituído no segundo tempo sob os aplausos da torcida, Iarley já valorizava os gols marcados nos primeiros minutos. "Foi importante pra gente dar tranquilidade pro time tocar a bola. E conseguimos o segundo gol, que também foi importante. Mas a gente deu uma baixada na guarda", analisou o atacante.

Na etapa final, o panorama do jogo pouco mudou. Inconformado pela atuação de sua equipe, o técnico Waldemar Lemos fez duas substituições no Atlético ainda aos sete minutos: colocou Patrick no lugar de Zé Antônio e tirou Wallyson para a entrada de Wesley. Mas o atacante reserva também não foi bem ao lado do estreante Alex Mineiro, que praticamente não pegou na bola.

O segundo tempo foi marcado pelo domínio do Goiás. Desta forma, o time da casa só poderia ampliar a vantagem. Aos 20 minutos, Léo Lima, um dos destaques da partida, avançou com liberdade e decidiu arriscar de fora da área, acertando um chute forte no ângulo direito de Galatto. Perdendo por 3 a 0, o Atlético ainda teve o zagueiro Rafael Santos expulso, o que encerrou as chances de reação da equipe visitante.

GOIÁS 3 X 0 ATLÉTICO-PR

Goiás - Harlei; Ernando, Leandro Eusébio e Rafael Tolói; Douglas, Amaral, Fernando, Léo Lima (Bruno Meneghel), Felipe Menezes e Júlio César (Zé Carlos); Iarley (Raul). Técnico: Hélio dos Anjos

Atlético-PR - Galatto; Antônio Carlos, Rhodolfo e Rafael Santos; Raul (Manoel), Valencia, Zé Antônio (Patrick) , Marcinho, e Márcio Azevedo; Wallyson (Wesley) e Alex Mineiro. Técnico: Waldemar Lemos

Gols - Iarley, aos seis, e Amaral, aos 11 minutos do primeiro tempo; Léo Lima, aos 20 minutos do segundo tempo

Árbitro - Devarly Lira do Rosario (ES)

Cartões amarelos - Zé Carlos, Douglas, Raul, Leandro Eusébio e Léo Lima (Goiás); Alex Mineiro, Manoel, Antônio Carlos e Wesley (Atlético-PR)

Cartão vermelho - Rafael Santos (Atlético-PR)

Renda - R$ 91.510,00

Público - 11.257 pagantes

Local - Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.