Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Goiás bate o Botafogo e gera crise no time carioca

Mesmo jogando no Rio, equipe de Ney Franco é superada por 4 a 1 e pode terminar a rodada em último lugar

Agencia Estado

27 de junho de 2009 | 21h06

Mais uma partida sofrível do Botafogo. Jogando em casa, neste sábado, no Engenhão, a equipe carioca teve outra atuação para esquecer e foi derrotada pelo Goiás por 4 a 1. A situação do técnico Ney Franco fica praticamente insustentável, mas a diretoria garantiu que ele continua no cargo. O time alvinegro é o penúltimo colocado, com seis pontos. O Goiás afasta-se da zona de rebaixamento e chega aos 11.

Veja também:

linkCom gol de pênalti, reservas do Cruzeiro derrotam o Avaí

especial Mercado: as transferências dos times

especial MASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especial Visite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela / tabela Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"É difícil explicar. Para mim que vim da base, é ainda mais doloroso", lamentava o goleiro Renan, um dos muitos jogadores vaiados pela torcida. "Estou muito triste. Vivemos um momento muito difícil".

Os cariocas começaram o jogo buscando o ataque, tentando acuar os adversários. Mas aos poucos o Goiás foi se encontrando e passou a ditar o ritmo da partida, tocando bem a bola e chegando com mais perigo à meta de Renan. As oportunidades de gol, no entanto, eram raras.

Felipe obrigou Renan a realizar duas boas defesas em dois chutes fortes, aos 12 e aos 21 minutos. Aos 25, porém, o goleiro botafoguense nada pôde fazer. Depois de cobrança de falta, Juninho afastou mal e a bola sobrou limpa para Felipe Menezes abrir o placar.

Mas o Goiás cometeu o mais recorrente dos erros das equipes que saem na frente no placar: recuou demais e cedeu campo para o Botafogo atacar. E mesmo sem muita criatividade o clube alvinegro chegou ao empate. Aos 36 minutos, Eduardo bateu lateral, Rafael Tolói desviou de cabeça e Victor Simões, num belo voleio, empatou.

Mas pouco antes do fim do primeiro tempo, o árbitro paulista Paulo César Oliveira viu pênalti de Leo Silva sobre Iarley, que subia para cabecear. Lance duvidoso. Felipe cobrou com paradinha e recolocou os visitantes na frente, aos 43.

Qualquer esperança de reação alvinegra foi sepultada logo no início da segunda etapa. Aos 12 minutos, depois de cruzamento da esquerda, Leandro Guerreiro falhou e a bola sobrou para Rafael Tolói ampliar. Mais três minutos e o Goiás fez o quarto. Ramalho dividiu com Leandro Guerreiro, que mais uma vez errou e passou para Iarley chutar forte e marcar o seu gol: 4 a 1 e partida liquidada.

A partir daí, o Botafogo tentou apenas na base do desespero, enquanto os goianos apenas administravam a vantagem. Agora, os cariocas tem a ingrata missão de derrotar o Atlético Mineiro, líder do campeonato, fora de casa. Os goianos recebem o Cruzeiro, no Serra Dourada.

BOTAFOGO 1 X 4 GOIÁS

Botafogo - Renan; Alessandro, Emerson, Juninho (Fahel) e Eduardo; Leandro Guerreiro, Batista, Leo Silva (Tony) e Lúcio Flávio (Rodrigo Dantas); Laio e Victor Simões. Técnico: Ney Franco

Goiás - Harlei; Ernando, Rafael Tolói e Leandro Euzébio; Vitor, Amaral, Ramalho, Felipe Menezes (Gomes) e Júlio César; Iarley (Bruno Meneghel) e Felipe (Zé Carlos). Técnico: Hélio dos Anjos

Gols - Felipe Menezes, aos 25, Victor Simões, aos 36, e Felipe (pênalti), aos 43 minutos do primeiro tempo; Rafael Tolói, aos 12, e Iarley, aos 15 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos - Leo Silva, Laio e Fahel (Botafogo); Iarley e Vitor (Goiás)

Árbitro - Paulo César de Oliveira (Fifa-SP)

Público - 6.689 pagantes

Local - Estádio João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.