Goiás busca consolo no Uruguai para drama no Brasileiro

Time de Jorginho entra em campo contra o tradicional Peñarol, em Montevidéu, pela Sul-Americana

AE, Agência Estado

20 de outubro de 2010 | 08h23

Em situação complicada no Campeonato Brasileiro, em que é o vice-lanterna e corre sério risco de rebaixamento, o Goiás busca consolo na Copa Sul-Americana. Nesta quarta-feira, o time do Centro-Oeste entra em campo contra o tradicional Peñarol, no Estádio Centenário, em Montevidéu, precisando de um empate para avançar às quartas de final do torneio.

Na partida de ida, semana passada, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, o Goiás venceu por 1 a 0, com gol do atacante Rafael Moura. A equipe do técnico Jorginho também pode perder, desde que seja por diferença de um gol e que balance a rede.

Os jogadores se dizem preparados para enfrentar o time mais popular do Uruguai no maior estádio do país. A torcida do Peñarol promete invadir o Centenário e transformá-lo num "caldeirão".

"Decidir fora de casa é sempre muito difícil e nada está definido, até porque o Peñarol contará com o apoio de seus torcedores. Nós sabemos disso e estamos preparados para a pressão", disse o volante Wellington Monteiro, um dos jogadores mais experientes do Goiás.

Jorginho terá como novidade no time o meia Bernardo, que não participou da derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, no fim de semana, por estar suspenso.

O Peñarol, por sua vez, ainda não poderá contar com o capitão Pacheco, que já não atuou no jogo de ida devido a uma lesão muscular. O técnico Manuel Keosseian faz mistério sobre o substituto, que pode ser o recém-contratado argentino Santiago Solari, ex-Real Madrid e Inter de Milão.

Quem passar de Peñarol e Goiás enfrentará nas quartas o vencedor do confronto entre Avaí e Emelec, do Equador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.