Goiás cobra São Caetano na Justiça

O lateral-esquerdo Zé Carlos, contundido, já estava fora dos planos do técnico Mário Sérgio para o jogo contra o Vasco, domingo, em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro. Mas ele pode provocar ainda muita dor de cabeça aos dirigentes do São Caetano, uma vez que o Goiás cobra na Justiça do Trabalho o pagamento de R$ 1 milhão por sua liberação.O clube goiano conseguiu esta decisão na Justiça, em audiência realizada quarta-feira, em Goiânia. O São Caetano terá que pagar esta quantia para ficar com o jogador. Se não concordar com o pagamento, Zé Carlos terá que retornar ao Goiás.Como já atuou duas vezes pelo São Caetano no Campeonato Brasileiro, Zé Carlos teria que ficar o resto do ano inativo. O jogador acertou com o clube do ABC no final do ano passado, quando o seu contrato com o clube goiano terminou.Alegando ser o formador do atleta, o Goiás entrou na Justiça para impedir a negociação, baseando-se na legislação da época em que ele havia assinado contrato com o clube - antes de março de 2001. A direção do São Caetano só vai se pronunciar sobre este caso após receber um comunicado oficial.Enquanto isso, o técnico Mário Sérgio faz mistério para definir o time. Marlon e Serginho são opções para a lateral-esquerda, enquanto Mineiro é o mais indiciado para substituir Marco Aurélio, suspenso com três cartões amarelos. Existe também a dúvida sobre a escolha tática, entre o 3-5-2 e 4-4-2.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.