Reprodução
Reprodução

Goiás lamenta morte de torcedor antes de clássico com o Vila Nova

Rondinelly Borges, de 22 anos, foi morto a tiros no domingo na cidade de Senador Canedo

Redação, Estadão Conteúdo

28 de janeiro de 2019 | 11h45

A violência voltou a aparecer de forma trágica em Goiás neste final de semana. Rondinelly Borges, de 22 anos, torcedor do Goiás, foi morto a tiros neste domingo, antes do clássico entre o seu time e o Vila Nova, em Goiânia, pela terceira rodada do Campeonato Goiano. O crime aconteceu em Senador Canedo, cidade que fica na região metropolitana da capital goiana. A vítima chegou a ser levada com vida para o Hospital de Urgências (Hugo), mas não resistiu.

A Polícia Militar abriu investigação para buscar os responsáveis. Porém, ao que tudo indica, foi mais uma vítima das brigas das torcidas organizadas de Goiás e Vila Nova. O clube alviverde publicou em suas redes sociais uma nota lamentando a morte de Rondinelly: "Quantas mães vão chorar ao saber que não terão seus filhos de volta? Quantos irmãos vão olhar para o lado e ter apenas a dor da saudade? O Goiás Esporte Clube está de luto. Isso não é futebol", escreveu.

Rondinelly tinha uma relação longa e muito próxima com o clube por causa de um problema de saúde na família. Há 8 anos, o irmão foi diagnosticado com câncer no fígado e a paixão pelo Goiás conviveu com 18 meses de luta contra a doença. O irmão dele não resistiu.

Goiás e Vila Nova se enfrentaram neste domingo, pela terceira rodada do Campeonato Goiano, em jogo de torcida única no estádio da Serrinha, em Goiânia. O time esmeraldino venceu por 2 a 0, com gols dos atacantes Michael e Júnior Brandão.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
futebolGoiás Esporte Clubetorcida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.