Divulgação
Divulgação

Goiás pode ser punido após torcida lançar objetos e PM intervir

Clube deve ser julgado pelo STJD após violência no Serra Dourada

Estadão Conteúdo

19 Novembro 2015 | 10h29

Ao ser derrotado por 3 a 1 pelo Coritiba, na noite desta quarta-feira, no Serra Dourada, o Goiás estacionou nos 34 pontos, na 18ª posição do Campeonato Brasileiro, e viu o risco de rebaixamento à Série B aumentar ainda mais, até porque Figueirense e Avaí, rivais diretos na luta contra a degola, venceram seus jogos que também foram realizados nesta quarta.

Para completar, alguns torcedores do Goiás ainda complicaram ainda mais a situação do time ao agir de forma violenta durante e após o confronto. O árbitro Ricardo Marques Ribeiro relatou na súmula da partida que um chinelo foi arremessado em direção ao assistente Emerson Augusto de Carvalho, aos 10 minutos do segundo tempo, embora tenha admitido que o objeto não acertou o auxiliar da arbitragem.

Após o final do jogo, porém, torcedores voltaram a agir de forma violenta. Atrás de um gols do estádio em Goiânia, eles se aglomeraram perto do túnel do vestiário da equipe mandante e arremessaram objetos em direção ao campo e aos jogadores do próprio Goiás, tamanha indignação com a derrota por 3 a 1 para o Coritiba.

Por causa do comportamento dos torcedores, a Polícia Militar precisou intervir com bombas de efeito moral, em episódio que também foi observado de perto pela arbitragem e consequentemente relatado na súmula, que ainda destacou que outros objetivos foram arremessados em campo por torcedores do Goiás, como por exemplo garrafas e copos de plásticos, tênis, uma pedra e até um telefone celular.

O Goiás fará apenas mais uma partida em casa nas três rodadas derradeiras do Brasileirão. E as duas próximas são fora de casa, contra Atlético-MG, domingo, em Belo Horizonte, e Chapecoense, uma semana depois, em Chapecó. Em seguida, a equipe goiana fecha sua campanha contra o São Paulo, no dia 6 de dezembro, no Serra Dourada, mas agora o clube corre o risco de sofrer punições por causa do comportamento de sua torcida e deverá ser julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Mais conteúdo sobre:
futebol Brasileirão Goiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.