Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Goiás quer pressionar Guarani no Brinco

Pressionado pela busca de melhores resultados e a disputa remota de uma vaga na Libertadores, o time do Goiás enfrenta o Guarani, neste sábado, às 16 horas, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, com uma equipe armada para jogar em contra-ataque.O Goiás ocupa a 7ª posição com 61 pontos ganhos, oito a menos que o líder Santos, e vem de vitória sobre o Atlético-PR (2x0). Se depender do zagueiro Renato, a batalha de Campinas será decidida pela defesa: "Desta vez não vamos dar facilidades para os atacantes", diz Renato, cuja zaga tem sido responsabilizada pelas dezenas de gols tomados ao longo da competição. "A tendência é a de jogar duro porém sem falhas", disse.Em Campinas, na avaliação dos jogadores, o time deverá jogar com "força" e "pegada", como afirma o goleiro Harlei: "A vitória sobre o líder nos deu moral e agora queremos buscar a vitória contra o Guarani", disse, referindo-se aos 2 a 0 sobre o Atlético-PR, na terça-feira. "Vamos marcar mais, dividir mais a bola, jogar de maneira competitiva", afirmou.Na reta final do Campeonato Brasileiro, e faltando oito jogos para o término do torneio, o Goiás tenta estabelecer, no jogo contra o Guarani, uma seqüência de resultados positivos enquanto põe fim à insegurança das derrotas que o tiraram das primeiras posições: "É preciso ter mais atenção com bola parada e a pressão inicial nos primeiros 15 minutos de jogo", avalia André Dias. "Nosso objetivo continua sendo o mesmo, o de conquistar uma vaga na Libertadores", defende o volante Josué, que neste jogo não terá a companhia de Simão (artrose no pé direito), no meio-campo, já que Celso Roth escalou Danilo Portugal para o seu lugar. "Se quisermos algo melhor será preciso conquistar pontos fora de casa", diz Josué.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.