Goiás quer vencer para deixar a lanterna

Deixar a lanterna, após 14 rodadas consecutivas, é o desafio do Goiás que nesta quarta-feira enfrenta a Ponte Preta às 20h30 no estádio Serra Dourada, em Goiânia. A partida, válida pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, terá arbitragem de Luiz Antonio Silva Santos (RJ). O Goiás (24º), que vem de seis jogos sem derrota (44,4% de aproveitamento), precisa da vitória para deixar a lanterna, que ocupa a 14 rodadas. Mas, além de vencer em campo o time dirigido por Cuca, terá de superar a si mesmo nas falhas da defesa e o retrospecto contrário - a ponte ganhou quatro e empatou uma partida nos sete jogos de confronto com o alviverde. "O Goiás é um time que tem potencial e vai dar a volta por cima", acredita o técnico Cuca, que torce por uma zaga mais eficiente (sofreu 39 gols em 21 jogos). Contra a ponte ele pretende abandonar o sistema 4-4-2, onde emprega três volantes, para tornar o ataque mais ofensivo. Na zaga, como Fabão está suspenso, o treinador terá de escalar Pedro Paulo ou João Paulo, além de manter Gustavo na lateral-direita em lugar de Michel. No ataque ele tomou precauções. Como o centroavante Dimba está sendo marcado com maior intensidade a cada partida, o treinador pretende abrir mais espaço na zaga adversária escalando um terceiro atacante, Wando, que atuará ao lado Araújo. Com a mudança, ele espera um ataque ofensivo onde Araújo atuará com liberdade, armando jogadas e conduzindo a bola a partir da intermediária, uma função que costuma ser exercida por Danilo, que está fora do jogo (contusão). "Deixar a lanterna será um alívio para todos nós", avisa Dimba, atual artilheiro da competição com 17 gols. Se o sonho se concretizar, o Goiás deixará a herança da lanterna para o Grêmio de Danrlei.

Agencia Estado,

29 de julho de 2003 | 14h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.