Goiás vira sobre o Palmeiras no Pacaembu e vai à final

Definitivamente 2010 será um ano para o palmeirense esquecer. Nesta quarta-feira, o time alviverde perdeu por 2 a 1, de virada, para o Goiás, num Pacaembu lotado, e foi eliminado nas semifinais da Copa Sul-Americana. A essa frustração soma-se o 11.º lugar no Campeonato Paulista, a saída nas quartas de final da Copa do Brasil e a fraca campanha no Campeonato Brasileiro, em que, a duas rodadas do fim, a equipe aparece apenas na décima colocação.

BRUNO CHAZAN, Agência Estado

24 de novembro de 2010 | 23h49

Já o Goiás vive momento oposto: rebaixado no Nacional com duas rodadas de antecedência, buscará o consolo com o título da Sul-Americana e a consequente vaga na Copa Libertadores de 2011. A equipe do Centro-Oeste aguarda agora pelo próximo adversário, que sairá do duelo entre Independiente e LDU, que será disputado nesta quinta-feira. Vencedor do primeiro confronto por 3 a 2, em Quito, o time equatoriano precisa apenas do empate, e o argentino, de vitória por 1 a 0 ou 2 a 1.

Mesmo com a desobrigação de tomar a iniciativa, já que, por ter vencido a primeira partida por 1 a 0, jogava por um empate, o Palmeiras não se acomodou e partiu para cima desde o início, apostando principalmente nos chutes de fora da área. Em menos de 20 minutos, o time já havia criado três boas chances dessa maneira, com Danilo, Tinga (que parou na trave) e Lincoln.

O Goiás respondeu num chute no travessão de Rafael Moura. Mas logo em seguida o Palmeiras retomou o domínio do jogo e passou a explorar o lado direito da defesa rival. Luan já havia perdido boa oportunidade quando, aos 33, recebeu belo lançamento de Edinho nas costas de Douglas. O atacante dominou com esperteza e bateu cruzado para fazer 1 a 0.

Quando tudo levava a crer quer o Palmeiras já tinha o jogo nas mãos, o Goiás achou o empate num lance de sorte, já nos acréscimos. Marcelo Costa bateu falta no travessão, e na sequência do lance, a bola sobrou para Carlos Alberto, que cabeceou e viu a bola ainda desviou em Tinga antes de entrar.

O Goiás voltou para o segundo tempo mais ofensivo, com o atacante Felipe no lugar de Douglas. E a mudança de postura quase surtiu resultado de imediato. Após cobrança de lateral na área, Amaral cabeceou para trás e obrigou Deola a fazer difícil defesa no canto direito.

O domínio se estendeu durante o restante do jogo. E o gol da virada - e da classificação - veio a nove minutos do fim. Marcão foi à linha de fundo e cruzou na segunda trave para Rafael Moura, que ajeitou para Ernando marcar de cabeça. O Palmeiras esboçou uma pressão nos minutos finais, mas nem sequer conseguiu ameaçar o gol de Harlei.

Resta, agora, saber com que time Felipão enfrentará o Fluminense, domingo, em jogo que interessa à disputa do título brasileiro. Se o Palmeiras avançasse à final da Sul-Americana, iria campo em Barueri com os reservas. Fica a dúvida se usará força máxima e beneficiar o arquirrival Corinthians.

FICHA TÉCNICA:

Palmeiras 1 x 2 Goiás

Palmeiras - Deola; Márcio Araújo, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga (Ewerthon) e Lincoln (Dinei); Luan e Kléber. Técnico - Luiz Felipe Scolari.

Goiás - Harlei; Ernando, Rafael Toloi e Marcão; Douglas (Felipe), Amaral, Carlos Alberto, Marcelo Costa, Wellington Saci; Otacílio Neto (Jonílson) e Rafael Moura. Técnico - Artur Neto.

Gols - Luan, aos 33, e Carlos Alberto, aos 47 minutos do primeiro tempo; Ernando, aos 36 minutos do segundo.

Árbitro - Heber Roberto Lopes (Fifa-PR).

Cartões amarelos - Douglas, Marcão, Carlos Alberto.

Local - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.