Gol deixa Deivid aliviado

O Santos teve muitas dificuldades, mas venceu o Guarani, por 1 a 0, neste sábado à noite, no Brinco de Ouro. E a vitória teve sabor especial para um jogador: o atacante Deivid, que marcou o gol da vitória. Ele estava preocupado depois de perder uma chance incrível aos 46 minutos do primeiro tempo, mas feliz por ajudar o time a continuar brigando pela liderança do Campeonato Brasileiro.?Fui confiante na bola, como estou acostumado, mas perdi o gol. Nem eu acreditei porque estava debaixo da trave?, comentou Deivid sobre o lance perdido ainda no primeiro tempo, quando Léo entrou na área pelo lado esquerdo e cruzou na pequena área.?Só precisava tocar para o gol, mas a bola tocou de lado e saiu...?, completou. Ele reconheceu que acabou marcando o gol mais difícil, na cabeçada que o goleiro Jean não defendeu e a bola só passou alguns centímetros aos 17 minutos do segundo tempo. Este foi o 14º gol dele na competição, igualando-se a Elano e ficando atrás de Robinho, que tem 19 gols.O capitão Ricardinho valorizou a conquista dos três pontos. "Conseguimos nosso objetivo, que era buscar os três pontos aqui. Não foi tão fácil, mas acho que foi justo, porque criamos outras chances para ampliar. Vamos continuar passo a passo", comentou.A vitória deixou o Santos com 64 pontos, ainda na vice-liderança, e três pontos atrás do Atlético-PR que goleou o Atlético-MG, por 5 a 0. O volante Fabinho também seguiu a mesma linha de raciocínio: "Podia ter sido 1 a 0 ou uma goleada, mas o importante é que vencemos".O goleiro Mauro também estava feliz, principalmente por considerar que evitou o gol de pênalti desperdiçado por Aílton. "Cai bem no lance e assustei o batedor", afirmou, assegurando que não houve pênalti no lance em que Paulo César cometeu a falta sobre Harison. "Eles estavam fora da área", disse, convicto.Do lado do Guarani, muitas lamentações. "Jogamos bem, perdemos um pênalti e poderíamos ter vencido", comentou o técnico Agnaldo Liz. O meia Aílton, que chutou o pênalti, para fora colocar a culpa no azar. Ao final do jogo o goleiro Jean foi vaiado por parte da torcida bugrina, que o acusava de ter falhado no lance do gol santista. "Infelizmente futebol é assim mesmo. Quando a gente ganha eles batem palmas, mas quando se perde sempre eles buscam um culpado. Eles vão perder uma pessoas de caráter", disse Jean, que pretende deixar o clube ao final do seu contrato, em dezembro. Ele é o segundo maior salário do clube, com R$ 40 mil, só perdendo para Viola que recebe R$ 80 mil.Lanterna do Campeonato Brasileiro há sete rodadas, o Guarani vai tentar a recuperação diante do Atlético-MG, quarta-feira, no Estádio Independência, em Belo Horizonte. "Não podemos desanimar", repetiu Agnaldo Liz, um dos poucos que ainda mantém o discurso otimista no clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.