Gol pode marcar despedida de Vágner

Nada como uma vitória em dia de estréia de técnico para traqüilizar o ambiente no Palmeiras, que vai descansar agora até o dia 13, quando receberá o Vasco pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Vágner Love era o mais abordado por jornalistas após o jogo no Palestra Itália. Seu gol, o primeiro da vitória por 2 a 0 sobre o Coritiba, pode ter sido o último com a camisa do Palmeiras. "É difícil, sim", entregou o jogador quando questionado sobre o sentimento de despedida do clube que o projetou. "A gente vai sentir muita saudades dele, que vai fazer muita falta", completava o atacante Muñoz. É remota inclusive a possibilidade de Vágner participar da intertemporada que o grupo fará a partir do dia 8, possivelmente em Atibaia ou Extrema. Segundo um conselheiro do Palmeiras, apesar de o presidente Mustafá Contursi estar insatisfeito com o que até este sábado era considerado um descumprimento do que foi acertado, já que o primeiro depósito combinado pelos empresários portugueses não havia caído nas contas do clube, Vágner já é tido como ex-atleta do clube. É possível que o mal entendido seja desfeito no meio da semana, quando uma delegação chega da Europa para que sejam definidos os detalhes práticos da transferência. O técnico estreante Estevam Soares demonstrava o sentido de dever cumprido. "É uma equipe guerreira, que já entrou em campo buscando o gol desde o início. O Coritiba, prevíamos, veio fechado, mas a equipe se comportou bem e teve tranqüilidade para buscar o resultado." Um dos mais felizes depois do jogo era o atacante Muñoz. No final, quando foi substituído por Thiago Gentil, o nome do colombiano - relacionado numa lista de jogadores indesejados por parte da torcida - era gritado em coro pelos mesmos torcedores que no início da semana o queriam fora do clube. "Acho que não tem como descrever o que senti. Fiquei muito feliz."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.