Goleada deixa Lusa em estado de alerta

A humilhante derrota da Portuguesa para a Internacional, em Limeira, domingo, por 5 a 1, pelo Campeonato Paulista deixou o time em estado de alerta. O técnico Renê Simões está com o cargo ameaçado e um novo tropeço pode decretar sua demissão. Para retomar o rumo, o time vai se refugiar, a partir desta terça-feira, na cidade de Jarinu.De "cabeça inchada", Renê Simões, sem querer muita conversa, dando respostas diretas, procurou desmentir os boatos sobre sua saída. "Foi uma partida em que tudo deu errado, mas não pedi demissão", disse. Negou também que tenha se reunido com a diretoria. Sobre sua permanência no cargo foi direto: "Isto é o presidente Amílcar Casado quem pode responder."Com 15 pontos, o treinador sabe das dificuldades e não faz mais contas. Renê havia calculado no início do torneio que o time para se classificar precisava somar entre 28 e 30 pontos. O time deveria somar 11 pontos a cada 5 rodadas para contar com suas próprias forças. Pela matemática, a Lusa deveria ter hoje 22 pontos. "Acordei sem cabeça para pensar."Para classificar-se às semifinais, a Lusa terá de vencer os últimos cinco jogos. Uma missão difícil já que terá pela frente clássicos contra Corinthians e São Paulo, além de Rio Branco, Ponte Preta e Botafogo.Vacina - O time trocou nesta segunda-feira o treino por vacinação. Como enfrenta o São Raimundo, dia 4, em Manaus, pela Copa do Brasil, os jogadores e comissão técnica foram obrigados a tomar vacina contra a febre amarela no Aeroporto de Cumbica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.