Goleada deixa Palmeiras confiante na classificação

'Agora temos de esquecer a altitude e jogar futebol', afirma Keirrison, autor de dois gols na vitória por 5 a 1

DANIEL AKSTEIN BATISTA, Agencia Estado

29 de janeiro de 2009 | 23h31

Nenhum jogador do Palmeiras conseguiu esconder ao término do jogo desta quinta-feira que a vaga na fase de grupos da Libertadores está muito próxima. Após a goleada por 5 a 1 sobre o Real Potosí, o experiente Edmílson, que marcou um gol em seu segundo jogo pelo time, foi sincero. "Temos plena convicção de que vamos conseguir a classificação."Veja também:Palmeiras não pode temer altitude, diz Diego SouzaPalmeiras anuncia novo reforço: o paraguaio 'Ortigol'Oito titulares do Palmeiras já viajam para Bolívia  Ouça os gols do jogo pela Eldorado/ESPN Libertadores 2009 - Tabela e resultadosConfira as novidades do mercado do futebol Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Os reforços que o clube trouxe mostram a cada jogo que a torcida não tinha motivos para se preocupar no início da temporada. Cleiton Xavier, Keirrison e Willians têm mostrado boas atuações, assim como Edmílson. Em quatro partidas no ano, 100% de aproveitamento. Três vitórias no Paulistão e uma na Libertadores."Todos [os jogadores] estão determinados a ajudar o outro", ressaltou Keirrison, que divide a artilharia do time na temporada com Cleiton Xavier. Cada um tem quatro gols. "O Palmeiras está crescendo cada vez mais."No entanto, o camisa 9 do Palmeiras pediu calma à torcida, lembrando que o Potosí pode aprontar no jogo de volta, na próxima quarta-feira, na Bolívia. Mesmo assim, está otimista. "Demos um grande passo", admitiu. "Agora temos de esquecer a altitude e jogar futebol."O meia Diego Souza também se mostrou empolgado com a vitória no Palestra Itália. "Com essa vantagem, temos todas condições de voltar (da Bolívia) com a classificação", disse o jogador, que também deixou sua marca, fazendo o terceiro dos cinco gols palmeirenses.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa LibertadoresPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.