Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Goleada faz Jardine projetar ambiente mais tranquilo no São Paulo

Técnico exalta conquista de confiança depois de golear Mirassol e superar tropeços

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2019 | 04h30

O técnico do São Paulo, André Jardine, saiu como um dos principais vencedores da goleada aplicada pelo time por 4 a 1 sobre o Mirassol, neste sábado, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista. O resultado convincente, obtido de virada, vem para dar confiança ao trabalho do jovem treinador depois de uma pré-temporada de duas derrotas e de um fim de ano irregular em 2018 no cargo de interino.

No ano passado Jardine dirigiu o São Paulo nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro, depois da demissão de Diego Aguirre. A equipe não conseguiu vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores e inicia a temporada 2019 com a necessidade de passar por duas fases preliminares. A expectativa de resultados imediatos aumentou depois de perder os dois jogos na Flórida Cup para o Eintracht Frankfurt e o Ajax.

Neste sábado, depois de bater o Mirassol, Jardine admitiu que estava preocupado. "A gente não estava jogando bem. A cabeça estava trabalhando muito, pensando em solução para nos recolocar no jogo", afirmou. Depois de sair atrás no placar, o São Paulo conseguiu virar e abrir uma goleada. Porém, antes do empate, parte da torcida no Pacaembu chegou a vaiar a equipe.

"Pessoalmente, antes do jogo eu pensava muito que seria importante começar vencendo e atendendo a expectativa. Não só para mim, mas era importante começar bem. Há três anos que o São Paulo não começava ganhando no Paulista. O time estava engajado nisso. Eu até falei na Flórida que o jogo de hoje era o que precisávamos vencer", disse Jardine, funcionário do clube desde 2015.

O treinador de 39 anos afirmou que os jogadores têm confiança no seu trabalho e vê o elenco ter potencial para crescer até o começo de fevereiro, data da estreia na pré-Libertadores contra o Talleres, na Argentina. "Nós estamos em um processo de entrosamento, os jogadores estão se conhecendo", comentou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.