Goleada não muda a programação do São Paulo

A goleada sofrida em casa diante do Santos não vai mudar absolutamente nada no planejamento do São Paulo para o jogo de quarta-feira contra o Chivas, pela semifinal da Libertadores. A agenda está mantida: os titulares, que treinaram no domingo de manhã no CCT da Barra Funda, se reapresentam na tarde desta segunda para um treino físico e tático. Em seguida, nem saem do CCT - ficam concentrados no alojamento até quarta-feira.?Nada vai mudar no São Paulo por causa dessa derrota?, garantiu o técnico Muricy Ramalho. ?E nós vamos jogar contra o Chivas da mesma forma que sempre jogamos, pressionando o adversário em seu campo de defesa, com muita marcação. O Chivas, sim, vai ter que mudar: precisando do resultado, eles devem vir mais para cima do nosso time?, emendou o treinador.Ainda segundo Muricy, ?não há a menor possibilidade de a derrota interferir no próximo jogo. Será outro time, outro campeonato, outra situação, outra arbitragem?.O goleiro Rogério Ceni, capitão da equipe e um dos dois únicos titulares a entrar em campo neste domingo (o outro foi o zagueiro Edcarlos), também garantiu que o resultado não vai interferir no astral do grupo para quarta-feira. ?Claro que não era o que a gente esperava. Mesmo com um time reserva, a gente pensava num resultado melhor?, disse Rogério Ceni. ?Mas nosso grupo está bem focado na semifinal da Libertadores?, emendou o camisa 1.O São Paulo não levava quatro gols num jogo desde 20 de agosto do ano passado: derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, em Curitiba, pelo Brasileiro. Por diferença de mais de três gols, o São Paulo não perdia desde 25 de novembro de 2001: 7 a 1 para o Vasco, em São Januário, pelo Brasileirão daquele ano.Nos bastidores, a diretoria segue tentando acertar com o Betis a prorrogação do empréstimo de Ricardo Oliveira. O contrato do jogador termina dia 12 de agosto, quatro dias antes da segunda partida da decisão da Libertadores. Convidado a vir ao Brasil para discutir a situação, Manuel Lopera, homem-forte do Betis, recusou o convite. Assim, o São Paulo mandará um emissário à Espanha para resolver o problema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.