Pedro Nunes|Reuters
Pedro Nunes|Reuters

Goleiro brasileiro pega pênalti e Benfica sai na frente do Borussia Dortmund

Time português ganha por 1 a 0 no jogo de ida das oitavas da Liga dos Campeões

Estadao Conteudo

14 Fevereiro 2017 | 19h51

As boas atuações de Ederson como titular do Benfica abriram os olhos da comissão técnica da seleção brasileira. Por causa dele, o preparador de goleiros Taffarel foi até Lisboa para assistir à partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões contra o Borussia Dortmund, no Estádio da Luz, nesta terça. E não deve ter se arrependido. O jovem de 23 anos pegou um pênalti e ajudou na vitória lusitana por 1 a 0.

É verdade, porém, que Ederson não teve nenhum trabalho para pegar o pênalti. Aubameyang bateu no meio do gol, sem força. Fosse um cone no lugar do goleiro e o gabonês também teria perdido a chance de empatar, aos 13 minutos do segundo tempo.

Mas não foi só nesse lance que o brasileiro brilhou. Logo depois de sair atrás no placar, o Dortmund se esforçou em busca do empate. No total, deu 14 chutes a gol, sendo quatro na direção do gol. Três deles em questão de 10 minutos, obrigando Ederson salvar o Benfica ao sair aos pés de Dembélé, ao pegar bonito chute de Reus e ao defender batida de Piszczek.

A última defesa foi a mais difícil. Aos 38 minutos da segunda etapa, Pulisic pegou sobra fora da área e arriscou. A bola desviou em Raúl Jiménez e pegou Ederson no contrapé. O brasileiro se esticou todo e conseguiu dar um tapa para impedir o empate.

Pelo time português, foram só quatro finalizações, uma no alvo. Gol de Mitroglou. O grego balançou as redes aos 3 minutos do segundo tempo. Após cobrança de escanteio, Luisão cabeceou em direção ao gol e o goleiro Bürki se atirou na bola para fazer a defesa. Mas Mitroglou, esperto, se esticou todo para interceptar. Conseguiu dominar a bola, girar rapidamente e, a um metro do gol, mandar para dentro.

Méritos também de Luisão, zagueiro que chegou nesta quarta-feira ao seu 500.º jogo com a camisa do Benfica, sendo 122 delas em torneios da Uefa.

Ederson ainda não chegou às 50, mas já é ídolo da torcida, a ponto de ter colocado no banco o veterano Julio Cesar. Após passar por Ribeirão e Rio Ave, ele foi incorporado ao elenco principal do Benfica em 2015 e passou a se destacar. No ano passado, chegou a ser convocado por Dunga para a Copa América Centenário, já pensando na Olimpíada, mas precisou ser cortado por lesão. Agora, parece ser só questão de tempo que volte à seleção.

Por enquanto, a meta é classificar o Benfica às quartas de final da Liga. A partida de volta será no dia 8 de março, na Alemanha, e os portugueses jogam por um empate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.