Mohamed Messara/EFE
Mohamed Messara/EFE

Goleiro croata prevê Rússia ofensiva por jogar em casa: 'Eles que nos ataquem'

Danijel Subasic elogia time anfitrião do torneio e aceita possibilidade de jogar aguardando o adversário

Estadão Conteúdo

03 Julho 2018 | 14h18

Fundamental para a classificação da Croácia às quartas de final da Copa do Mundo, Danijel Subasic elogiou a próxima adversária da equipe no Mundial, a Rússia, em partida que vai acontecer às 15 horas (de Brasília) deste sábado, em Sochi. O goleiro entende que a seleção anfitriã deverá tomar a iniciativa no duelo por jogar com a torcida a favor neste confronto que valerá vaga nas semifinais.

+ Técnico da Croácia exalta maturidade de jogadores: 'Formamos uma equipe'

+ Jogador da Dinamarca é ameaçado de morte após perder pênalti contra a Croácia

+ Rakitic admite inspiração em 1998, mas pede que Croácia esqueça aquele time

"A Rússia tem excelentes jogadores e um grande time. É a seleção que joga em casa, em frente aos torcedores dela. Vai ser uma partida difícil para a gente", disse o goleiro em coletiva de imprensa concedida nesta terça-feira, em Adler, cidade próxima a Sochi. "Se nós vamos atacá-los desde o começo? Eles vão jogar em casa, eles que nos ataquem", afirmou Subasic.

O goleiro defendeu três cobranças na vitória croata por 3 a 2 em disputa de pênaltis contra a Dinamarca, após empate por 1 a 1 em 120 minutos (tempo normal e prorrogação). De acordo com Subasic, o treinamento no dia anterior ao jogo, disputado no último domingo, em Nijni Novgorod, foi determinante para o sucesso dele na partida.

 

"Eu estava cheio de confiança antes da disputa de pênaltis. No dia anterior, defendi cinco ou seis cobranças durante o treino", afirmou o goleiro, que viu o companheiro Luka Modric desperdiçar uma penalidade na prorrogação contra os dinamarqueses. "Não foi fácil para nós, a pressão era enorme", relatou.

Subasic, porém, rejeita ficar sozinho com os méritos pela classificação croata. "Estou sendo tratado como herói na Croácia? Estou curtindo a experiência, mas herói é o time inteiro, não apenas eu", afirmou o jogador.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.